Para celebrar!!!


UFU - Logo

Faculdade de Engenharia Mecânica da UFU completa 50 anos

A Faculdade de Engenharia Mecânica da Universidade Federal de Uberlândia (UFU) celebrou, na sexta-feira (24), o aniversário de 50 anos de sua primeira turma de alunos. A cerimônia comemorativa, seguida de palestra, aconteceu no mesmo local onde ocorreu a aula inaugural do curso em 1965 – o salão do Uberlândia Clube. […]

Leia a matéria completa em http://www.correiodeuberlandia.com.br/cidade-e-regiao/faculdade-de-engenharia-mecanica-da-ufu-completa-50-anos/

Osesp inicia Maio com estreia mundial e palestra gratuita


OSESP - Logo

OSESP E CORO DA OSESP | OSMO VÄNSKÄ (REGENTE) | ESTREIA MUNDIAL DE OBRA DE AYLTON ESCOBAR | SINFONIAS 6 E 7 DE SIBELIUS | 30 DE ABRIL, 01 E 02 DE MAIO

O consagrado regente finlandês Osmo Vänskä está de volta à Sala São Paulo para comandar a Osesp por duas semanas seguidas, além de participar como solista em um concerto do Quarteto Osesp, e de um encontro com o público na série Música na Cabeça .

Na primeira semana, ele rege a estreia mundial de A Rua dos Douradores – Litania da Desesperança (15 min), do compositor brasileiro Aylton Escobar, que inaugura o projeto SP-LX – Nova Música Contemporânea de Brasil e Portugal, uma parceria da Osesp com a Fundação Calouste Gulbenkian. Inspirada peloLivro do Desassossego, de Fernando Pessoa, com referências ao endereço da casa do poeta (rua dos Douradores) e ao título que este havia cogitado para seu livro (Litania da Desesperança), a obra será interpretada pela Osesp e pelo Coro da Osesp, abrindo o concerto.

Em seguida, a Osesp executa as Sinfonias no 6 (28 min) e no 7 (22 min), de Sibelius, que embora tenham em comum a técnica de composição, são muito diferentes em seu caráter. A Sexta, em Ré Menor, é melancólica, e a Sétima, em Dó Maior, é extrovertida e apolínea. Vale ressaltar a importância da regência de Osmo Vänskä, grande conhecedor da obra de Sibelius (além de seu conterrâneo), e premiado com o Grammy por sua gravação das Sinfonias nº 1 nº 4, do compositor finlandês (BIS, 2013).

O público pode acompanhar ainda o Ensaio Aberto da Osesp, na quinta, 30/04, às 10h (R$ 10,00).

SP-LX – NOVA MÚSICA MÚSICA CONTEMPORÂNEA DE BRASIL E PORTUGAL

Uma parceria inédita entre duas das maiores instituições culturais do Brasil e de Portugal – a Fundação Osesp (São Paulo) e a Fundação Calouste Gulbenkian (Lisboa) – promoverá, a partir de 2015, a estreia de obras musicais encomendadas a compositores brasileiros e portugueses, alternadamente. 

Cada obra de autor brasileiro será estreada em São Paulo, pela Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo (Osesp) e repetida pela Orquestra Gulbenkian, em Lisboa; inversamente, cada obra de autor português será estreada em Lisboa, pela Orquestra Gulbenkian, e repetida pela Osesp, em São Paulo. Sempre que possível, as partituras serão publicadas pela editora Criadores do Brasil, da Osesp.

A obra de Aylton Escobar, que inaugura o projeto, será ouvida dias 29 e 30 de outubro de 2015, pelo Coro e Orquestra Gulbenkian, dirigidos por Alondra de la Parra. Já em 2016, o compositor português Luís Tinoco terá uma obra sinfônica estreada em Lisboa, com a Orquestra Gulbenkian e, posteriormente, interpretada pela Osesp em São Paulo. 

A Fundação Osesp e a Fundação Calouste Gulbenkian, que desde sempre estimulam o conhecimento e a criação da música do nosso tempo, juntam assim esforços para ajudar não só a circulação da nova música nos dois países, mas ampliar os laços culturais entre países de língua portuguesa.

Saiba mais sobre Osmo Vänska:

http://www.harrisonparrott.com/artist/profile/osmo-vanska

Informações sobre os concertos:

– Ensaio aberto: 30/04 (qui), 10h, R$ 10,00.

– Concertos: 30/04 (qui) e 01/05 (sex), às 21h, e 02/05 (sáb), às 16h30. Ingressos: R$ 45,00 a R$ 178,00.

http://www.osesp.art.br/concertoseingressos/concerto.aspx?IDApresentacao=5781 

QUARTETO OSESP E OSMO VÄNSKÄ (CLARINETE) | DOMINGO, 03 DE MAIO, 16H

Em seu primeiro programa na Temporada 2015, o Quarteto Osesp, formado por Emmanuele Baldini, violinista spalla da Osesp, o violinista Davi Graton, o violista Peter Pas e o violoncelista Ilia Laporev, recebe como solista convidado o maestro finlandês Osmo Vänskä, que toca clarinete em uma das peças do repertório.

Para abrir o concerto, o grupo interpreta a Pavane: She’s so Fine (7 min), que integra a obra John’s Book of Alleged Dances [O Livro de John das Supostas Danças], do norte-americano John Adams (Compositor Visitante da Temporada 2015). Adams explica que a peça foi escrita para o Kronos Quartet e “expressamente pensada para o registro docemente lírico do violoncelo de Joan Jeanrenaud”, integrante daquele grupo.

Em seguida, serão executadas duas peças do compositor tcheco Bohuslav Martinu: Três Cavaleiros (12 min), primeira composição do autor para quarteto de cordas (com apenas 12 anos de idade!); e Quarteto nº 2 (20 min), obra influenciada pelo impressionismo francês.

Para terminar, Osmo Vänskä se junta ao Quarteto Osesp para tocar o Quinteto Para Clarinete e Cordas em Lá Maior, KV 581, de Mozart (30 min), considerada a primeira obra a conjugar o clarinete e um quarteto de cordas na história da música.

Saiba mais sobre o Quarteto Osesp:

http://www.osesp.art.br/paginadinamica.aspx?pagina=quartetoosesp3

Informações sobre o concerto:

– 03/05 (dom), 16h. Ingressos: entre R$ 71,00 e R$ 92,00.

http://www.osesp.art.br/concertoseingressos/concerto.aspx?IDApresentacao=5784

 

MÚSICA NA CABEÇA | OSMO VÄNSKÄ FALA SOBRE AS SINFONIAS DE SIBELIUS | SALA CARLOS GOMES | 04 DE MAIO (SEG), 19H

O finlandês Osmo Vänskä é diretor musical da Orquestra de Minnesota desde 2003, além de atuar como regente convidado em prestigiosas orquestras internacionais. É grande conhecedor de Jean Sibelius, seu conterrâneo, e considerado um dos maiores regentes de sua obra, sendo premiado com o Grammy pela gravação das Sinfonias nº 1 nº 4 (BIS, 2013), além de ter recebido excelentes críticas da imprensa especializada.

Vänskä participa da série Música na Cabeça, na segunda-feira, 04 de maio, às 19h, abordando as sinfonias de Sibelius (duas das quais, ele regeu no programa da Osesp da primeira semana de maio). O encontro acontece na Sala Carlos Gomes e é aberto a todos os interessados. As inscrições são gratuitas, pelo link:

http://www.osesp.art.br/paginadinamica.aspx?pagina=musicanacabeca.

Fonte: Alexandre Felix – Comunicação/Imprensa

Espaço do Conhecimento UFMG apresenta debate sobre miscigenação e categorizações sociais e culturais no Café Controverso


Café Controverso - flyer

CAFÉ CONTROVERSO DEBATE A MISCIGENAÇÃO BRASILEIRA E AS CATEGORIZAÇÕES SOCIAIS E CULTURAIS DECORRENTES

O livro Dar Nome ao Novo – Uma história lexical da Ibero-América entre os séculos XVI e XVIII, do historiador e professor da UFMG Eduardo França Paiva, analisa o surgimento de vocabulário resultante das mestiçagens biológica e cultural entre nativos, africanos, europeus e mestiços no Brasil. Fruto de uma profunda e instigante pesquisa acadêmica, a obra traz perguntas como “quem chama quem de quê?”, “como cada um se define e define o outro?”, problematizando a origem dos termos que identificavam características “étnicas”, fisiológicas e culturais de indivíduos e de grupos, tais como “índios”, “pretos”, “negros”, “crioulos”, “brancos”, “mamelucos”, “mulatos”, “pardos”, entre outros, que foram os agentes históricos responsáveis pela construção das sociedades mestiças ibero-americanas e, em boa medida, produtores de características sociais e culturais que ainda hoje nos definem.

Essas e outras questões serão abordadas no Café Controverso Dar nome ao novo – Escravidão e mestiçagem na Ibero-América, que contará com o lançamento do livro. O debate é aberto ao público e será realizado no sábado, 25 de abril, na cafeteria do Espaço do Conhecimento UFMG, a partir das 11h. Entrada franca. 

A complexidade e a diversidade das relações culturais e sociais são abordadas sob uma perspectiva histórica, no trabalho desenvolvido pelo professor Eduardo França Paiva. A pesquisa, que durou 15 anos, deu origem ao livro “Dar Nome ao NovoUma história lexical da Ibero-América”, publicado pela editora Autêntica. Segundo o autor, a obra analisa a forma como cada época leu as realidades sociais do passado, produzindo versões diretamente vinculadas ao presente. Ele explica que os termos criados para designar os sociais, então considerados novos, alimentam também uma relação de hierarquia social e cultural que se mantém até os dias de hoje. O livro aborda tais questões principalmente compreendendo como todos estes aspectos foram produzidos e explorados historicamente. “O importante é perceber como em períodos específicos os conceitos tiveram diferentes definições e como cada época “leu” as realidades do passado, produzindo versões diretamente vinculadas com seu próprio presente”, contextualiza França Paiva.

A pesquisa abarca os séculos XVI e XIX, analisando como os termos e conceitos variaram, assim como o emprego deles. “O desafio do livro é tentar, da melhor maneira possível, aproximar-se das definições do passado, diferenciando-as das que utilizamos hoje”, conclui.  

Café Controverso

O conhecimento raramente passa pelo consenso e sua construção se faz, sempre, pelo diálogo. Nos Cafés Controversos, os temas são amplos e diversificados, e não se detêm aos tratados no interior do Espaço do Conhecimento: abordam diferentes setores da cultura, das artes e da ciência. Um espaço de debate e troca de ideias e perspectivas. 

O Espaço do Conhecimento UFMG estimula a construção de um olhar crítico acerca da produção de saberes através da utilização de recursos museais. Sua programação diversificada inclui exposições, cursos, oficinas e debates. Integrante do Circuito Cultural Praça da Liberdade, o Espaço do Conhecimento é fruto da parceria entre a operadora TIM, a UFMG e o Governo de Minas. O Espaço conta com o apoio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais – FAPEMIG, da Rede de Museus e Espaços de Ciências e Cultura da UFMG e da DAC – Diretoria de Ação Cultural da UFMG.

 Serviço:

Café Controverso – Dar nome ao novo – Escravidão e mestiçagem na Ibero-América Data: 25 de abril, às 11h

Local: Espaço do Conhecimento UFMG – Praça da Liberdade, 700

Entrada franca

Fonte: www.espacodoconhecimento.org.br

Dar nome ao Novo - capa do livro

 

Uma biblioteca que brilha no coração da cidade e dos leitores há 90 anos


Biblioteca Mário de Andrade - SP

Leila Kiyomura / Jornal da USP

Com o mesmo brio da São Paulo da década de 1920, a Biblioteca Mário de Andrade comemora 90 anos. Reúne um dos maiores acervos do País e está presente na história e na memória dos paulistanos. Para festejar, oferece uma programação com palestras, peças de teatro, exposições e lançamento de livros. E trava o seu maior desafio: o tombamento pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional […]

Leia a matéria completa em http://www5.usp.br/92650/uma-biblioteca-que-brilha-no-coracao-da-cidade-e-dos-leitores-ha-90-anos/

Espaço do Conhecimento UFMG exibe fotografias pinhole na Fachada Digital


TIMUFMG02

AMPLIANDO O OLHAR
Espaço do Conhecimento UFMG exibe fotografias pinhole na Fachada Digital

O Pinhole, termo inglês que pode ser traduzido como “buraco de agulha”, refere-se à fotografia realizada a partir de uma câmera artesanal sem lentes que pode ser feita com materiais caseiros, como caixas de sapatos ou qualquer recipiente fechado que evite a entrada da luz. Entre os dias 26 de abril e 3 de maio, a Fachada Digital do Espaço do Conhecimento UFMG exibirá uma série de fotografias produzidas com câmeras pinhole, no evento Pinhole Week – Exposição de fotos estenopeicas. A ação integra a programação do Pinhole Day – Dia Mundial da Fotografia com Câmera de Orifício e apresentará imagens produzidas em workhops das edições anteriores do evento em Belo Horizonte. As exibições na Fachada acontecem todas as noites, de 18h às 22h.
A tecnologia digital tornou o ato de fotografar mais presente no cotidiano das pessoas, com novos suportes e, consequentemente, outros significados. De acordo com Tibério França, fotógrafo, produtor cultural e membro do Núcleo de Imagem Latente, a fotografia digital gerou um certo “automatismo”, fazendo com que a reflexão se perdesse. “Sou um defensor da fotografia digital e claro que ela apresenta vantagens, mas hoje as imagens são feitas sem critério, o que trouxe uma espécie de alienação”, provoca. Para ele, o olhar apressado das pessoas reflete um pouco do ritmo diário, cada vez mais frenético e intenso, o que resulta muitas vezes na ausência de observação de aspectos simples do dia a dia. “O que propomos com o Pinhole Day é uma pausa disso tudo. Trazer a experiência lúdica e uma volta aos processos ancestrais da formação da imagem fotográfica. Queremos incitar e reflexão sobre o que acontece entre ‘o apertar e o olhar’. Poucas pessoas têm consciência sobre o que estão registrando”, afirma.
Além da exibição fotográfica na Fachada, a discussão será compartilhada com o público através do debate “A Fotografia Química na Era Digital”, a ser realizado no dia 9 de maio, a partir das 11h na cafeteria do museu. O encontro integra a série de conferências promovidas pelo Café Controverso, evento semanal cujas pautas diversificadas trazem convidados das mais variadas áreas do conhecimento. Além de Tibério França, a ocasião contará também com a presença de Cleber Falieri, professor da Escola de Belas Artes da UFMG.

Histórico
O Pinhole Day é um evento de âmbito internacional criado para promover e celebrar a arte da fotografia com a câmera estenopeica. Entusiastas e voluntários de todo o mundo realizam simpósios, palestras e eventos com o objetivo de incentivar novos adeptos. Realizado na capital mineira desde 2004, o Pinhole Day chega à sua 10ª edição, sempre organizado pelo Núcleo Imagem Latente (NIL). As oficinas são abertas aos públicos de todas as idades e têm duração média 90 minutos. Interessados podem fazer suas inscrições a partir do dia 15 de abril pelo blog nucleoimagemlatentebh.blogspot.com. Informações gerais sobre o Pinhole Day no site http://pinholeday.org.

Fachada Digital
A fachada externa do Espaço do Conhecimento UFMG é revestida por um material vítreo especial, o que transforma o edifício numa grande tela de projeção. Todas as noites, imagens que unem arte, ciência e experimentação são exibidas na fachada, numa interface entre o Espaço e a Praça da Liberdade. Estes painéis digitais atraem os olhares de milhares de pedestres e motoristas que passam pela região todos os dias, levando à rua e à cidade a experiência do conhecimento proposta pelo Espaço.

O Espaço do Conhecimento UFMG estimula a construção de um olhar crítico acerca da produção de saberes através da utilização de recursos museais. Sua programação diversificada inclui exposições, cursos, oficinas e debates. Integrante do Circuito Cultural Praça da Liberdade, o Espaço do Conhecimento é fruto da parceria entre a operadora TIM, a UFMG e o Governo de Minas. O Espaço conta com o apoio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais – FAPEMIG, Rede de Museus e Espaços de Ciências e Cultura da UFMG e da DAC – Diretoria de Ação Cultural da UFMG.

Serviço:
Pinhole Week – Exposição de fotos estenopeicas
Período: 26 de abril a 3 de maio, das 18h às 22h.
Local: Fachada Digital do Espaço do Conhecimento UFMG – Praça da Liberdade, 700
Atividade gratuita
Fonte: www.espacodoconhecimento.org.br/

Fins de semana no Espaço do conhecimento UFMG contarão com oficinas abertas ao público


TERRAÇO ASTRONÔMICO

Mais astronomia, todos os dias
Fins de semana no Espaço do conhecimento UFMG contarão com oficinas abertas ao público

Os visitantes do Espaço do Conhecimento UFMG terão mais uma opção para toda a família: a partir deste fim de semana o museu vai oferecer oficinas gratuitas ligadas à observação do céu. Elaboradas pelo Núcleo de Astronomia do Espaço, as atividades são abertas ao público espontâneo e acontecerão aos sábados e domingos, mediante a retirada de senhas na recepção do museu a partir de uma hora do inicio das atividades. As inscrições estão sujeitas à lotação das vagas.

O coordenador do Núcleo de Astronomia do Espaço do Conhecimento UFMG, Leonardo Marques Soares, explica que a ideia do projeto é trazer oficinas diversificadas aos fins de semana, ampliando as possibilidades de contato dos visitantes com a área e da própria fruição dentro do museu: “Escolhemos a oficina “Coleção de Estrelas” para ser a primeira ofertada e as atividades se diversificarão ao longo do ano conectando-se, inclusive, às comemorações do ‘Ano internacional da luz’, proposto pela UNESCO.” Em “Coleção de Estrelas” o público vai receber mapas de regiões do céu sem nenhuma leitura pré-definida e será convidado a imaginar constelações únicas. “Nessa oficina o visitante tem a oportunidade de criar leituras para aquela região do céu, constelações e respectivas narrativas, usando a imaginação como guia. Contando também com explanações dos mediadores do museu, além de compreender como as constelações são criadas o visitante acaba criando também uma intimidade com aquela região do céu ao comparar sua criação com outras existentes”, completa o professor.

Saiba mais sobre a atividade:

Oficina Coleção de Estrelas
Sábados e domingos, das 15h às 16h.
Número de vagas: 20 pessoas.
Classificação indicativa: 7 anos

Descrição: É possível usar a imaginação durante uma noite estrelada, longe das luzes das cidades, para formar grupos de estrelas que lembrem algum animal, personagem folclórico, um ser humano ou até mesmo instrumentos de medida. A diversidade de pessoas e culturas faz com que existam formas diferentes de colecionar estrelas, ou seja, formas diferentes de constelações. Na oficina “Coleções de Estrelas” os participantes receberão mapas estelares para criarem suas próprias constelações. Haverá um espaço no verso de cada mapa para criar mitos, histórias ou lendas a respeito da forma que foi imaginada.

O Espaço do Conhecimento UFMG estimula a construção de um olhar crítico acerca da produção de saberes através da utilização de recursos museais. Sua programação diversificada inclui exposições, cursos, oficinas e debates. Integrante do Circuito Cultural Praça da Liberdade, o Espaço do Conhecimento é fruto da parceria entre a operadora TIM, a UFMG e o Governo de Minas. O Espaço conta com o apoio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais – FAPEMIG, da Rede de Museus e Espaços de Ciências e Cultura da UFMG e da DAC – Diretoria de Ação Cultural da UFMG.

Serviço:
Oficina “Coleção de Estrelas”
Data: Sábados e domingos, das 15h às 16h.
Número de vagas: 20 pessoas.
Local: Espaço do Conhecimento UFMG – Praça da Liberdade, 700
Atividade gratuita
Classificação indicativa: 7 anos
Fonte: www.espacodoconhecimento.org.br

Exposição marca os 70 anos da morte do escritor Mário de Andrade


marioandradeDa Assessoria de Imprensa da USP 

Nesta quarta-feira, dia 8 de abril, foi aberta ao público, no saguão do prédio da Reitoria, a exposição Traço|Compassos: Mário de Andrade em caricaturas, organizada pelo Instituto de Estudos Brasileiros (IEB) da USP, em homenagem aos 70 anos da morte do escritor.

A exposição reúne cerca de 30 obras assinadas por Nássara, Millôr Fernandes, Paulo Cavalcanti, Antonio Paim Vieira, Hilde Weber, José Corrêa Moura, Nicolielo, Hippert, Baptistão, Cláudio Duarte, entre outros artistas, que retratam os célebres aros redondos dos óculos do escritor, o queixo proeminente, o largo sorriso dentuço, a indisfarçável calvície, o apuro no vestir-se, fixados em grafite, lápis de cor, nanquim, guache e outros processos gráficos.

Mário de Andrade colecionou, em seu acervo, um grande número de desenhos que o representam, obras que fazem parte do patrimônio do IEB desde 1968. Juntou-se a essas caricaturas, em 1998, no setor de Artes Visuais do Instituto, a coleção de desenhos doada pelo funcionário público carioca Carlos Alberto Passos (1923-2008), grande admirador do polígrafo modernista.

Escritor plural, Mário Raul de Morais Andrade é um dos nomes mais destacados da literatura e da cultura brasileira. Participou da Semana de Arte Moderna, em 1922, ano em que lançou “Pauliceia Desvairada”.

Em 1928, escreveu aquela que se tornaria sua obra mais conhecida e estudada: Macunaíma, romance que tem como figura central um anti-herói que, na visão do escritor, sintetiza o multiculturalismo brasileiro. […]

Leia a matéria completa em

http://www5.usp.br/91570/exposicao-marca-os-70-anos-da-morte-do-escritor-mario-de-andrade/

 

Osesp – 16 a 19 de abril


OSESP - Logo

OSESP MASP | O BRASIL E O CLÁSSICO | ORQUESTRA DE CÂMARA DA OSESP | TERÇA, 14 DE ABRIL, 19H30 | GRANDE AUDITÓRIO DO MASP

A Osesp e o MASP, duas das instituições culturais mais simbólicas de São Paulo, formam uma parceria inédita para aproximar a música clássica e as artes plásticas, oferecendo uma série de nove programas ao longo de todo o ano de 2015, em uma terça-feira por mês, no Grande Auditório do MASP. 

Nos encontros, serão estabelecidas as conexões entre composições eruditas consagradas e obras de arte do Acervo MASP, e relacionadas suas similaridades estéticas e históricas. As apresentações serão introduzidas por Leandro Oliveira (maestro, pianista e professor da Osesp) e Eugênia Gorini Esmeraldo (historiadora de arte e museóloga do MASP). 

No segundo programa da série, dia 14 de abril, às 19h30, a Orquestra de Câmara da Osesp interpreta a Sinfonia nº 38 em Ré Maior, KV 504 – Praga (25 min), de Mozart; a Modinha Imperial (6 min), de Fancisco Mignone; e a Sinfonia nº 90 em Dó Maior (24 min), de Haydn. A obra do Acervo MASP a ser analisada é Paz e Concórdia (1895), de Pedro Américo. 

Informações:

– 14/04 (ter), 19h30. Ingressos: R$ 100,00.

Grande Auditório do MASP

Av. Paulista, 1578 – 1º subsolo, São Paulo, SP | Tel (11) 3251-5644

http://www.osesp.art.br/concertoseingressos/concerto.aspx?IDApresentacao=6009

OSESP ITINERANTE | CORO DA OSESP CANTA EM MONGAGUÁ (12/04), ARARAS (14/04) E SANTO ANDRÉ (17/04) | GRATUITO

Depois da Osesp visitar quatro cidades paulistas, no início de fevereiro, é a vez do Coro da Osesp, sob a regência de Naomi Munakata, se apresentar pelo projeto Osesp Itinerante em três cidades do interior do estado – Jandira (12/04), Araras (14/04) e Santo André (17/04) –, levando ao público obras de Villa-Lobos, Aylton Escobar, Brahms, Schumann e Mendelssohn-Bartoldy. 

Com atividades inteiramente gratuitas, o projeto Osesp Itinerante leva à população de todas as regiões do Estado de São Paulo a excelência artística e pedagógica dos instrumentistas da Osesp em concertos sinfônicos, de câmara e corais, além de aulas de história da música e oficinas de instrumentos. Criado em 2008, o projeto cumpre um papel fundamental no processo de difusão cultural e de democratização da música clássica, tornando-a acessível a um público cada vez maior, que não tem oportunidade de assistir aos concertos da Osesp na Sala São Paulo. 

A iniciativa conta com a realização do Governo do Estado de São Paulo, correalização do SESC-SP e patrocínio do Grupo Segurador Banco do Brasil e Mapfre. 

Informações sobre os concertos: 

Mongaguá | 12/04 (dom), 20h

Igreja Matriz Nossa Senhora Aparecida.

Av. São Paulo, 1679 – Centro

http://www.osesp.art.br/concertoseingressos/concerto.aspx?IDApresentacao=6016

Araras | 14/04 (ter), 20h30

Teatro Estadual Maestro Francisco Paulo Russo

Av. Dona Renata, 401 – Tel (19) 3543-2450

http://www.osesp.art.br/concertoseingressos/concerto.aspx?IDApresentacao=6017

Santo André | 17/04 (sex), 20h

Igreja Matriz de Santo André

Praça Presidente Vargas, 1 – Centro

http://www.osesp.art.br/concertoseingressos/concerto.aspx?IDApresentacao=6018

OSESP COM MARIN ALSOP (REGENTE) E DENIS KOZHUKHIN (PIANO) | ESTREIA MUNDIAL DE ENCOMENDA DA OSESP A PAULO COSTA LIMA | 16 A 18 DE ABRIL

A regente titular Marin Alsop comanda a Osesp em duas semanas seguidas, recebendo como solista convidado, no primeiro programa, o jovem pianista russo Denis Kozhukhin, pela primeira vez com a Orquestra. 

O concerto começa com a estreia mundial da encomenda da Osesp ao compositor Paulo Costa Lima – Cabinda: Nós Somos Pretos, Abertura Sinfônica, Op.104 –, que explora o legado da cultura negra no Brasil, por meio de “um mergulho em diversos imaginários que circulam entre nós – o candomblé de caboclo, a herança queto e banto, as coisas cantadas no sertão”. 

Na sequência, o pianista Denis Kozhukhin é o solista do Concerto nº 1 Para Piano em Mi Menor, Op.11, de Frédéric Chopin (39 min), obra que destaca a coloratura e o timbre do piano, tendo a orquestra como apoio harmônico para suas evoluções. 

Ao final, a Osesp executa a Sinfonia nº 6 em Mi Bemol Menor, Op.111, de Prokofiev (45 min), obra de caráter meditativo e elegíaco, que equilibra forma e intensidade de sentimentos. 

Saiba mais sobre Denis Khozukhin:

http://deniskozhukhin.com/ 

Informações sobre os concertos:

– 16/04 (qui) e 17/04 (sex), às 21h, e 18/04 (sáb), às 16h30. Ingressos: R$ 45,00 a R$ 178,00.

http://www.osesp.art.br/concertoseingressos/concerto.aspx?IDApresentacao=5774 

RECITAIS OSESP | DENIS KOZHUKHIN (PIANO) INTERPRETA BRAHMS, LISZT E PROKOFIEV | DOMINGO, 19 DE ABRIL, 16H

Considerado por alguns críticos como a principal aposta entre os pianistas russos com menos de 40 anos, Denis Kozhukhin lançou-se na carreira internacional com apenas 23 anos de idade, após receber o primeiro prêmio na Queen Elisabeth Competition, em Bruxelas (2010). Desde então, tem se apresentado em consagradas salas de concertos e tocado com as mais importantes orquestras do mundo.

As obras que compõem o programa desse recital evocam um percurso interior de autoconhecimento e construção da própria formação. 

Abrem a apresentação as Sete Fantasias, Op.116, de Johannes Brahms (25 min), série de peças breves e de caráter fluido.  

Em seguida, Kozhukhin toca duas composições de Liszt: Anos de Peregrinação: Veneza e Nápoles (17 min), peça de caráter ingênuo e leve, e Harmonias Poéticas e Religiosas: Benção de Deus na Solidão (17 min), que faz referência à obra do escritor Alphonse de Lamartine.

Para terminar, o pianista interpreta a Sonata nº 8 em Si Bemol Maior, Op.84, de Prokofiev (29 min), obra que integra as “Sonatas de Guerra” do compositor russo e se caracteriza por dinâmicas que alternam o pianíssimo e o fortíssimo

Informações sobre o concerto:

– 19/04 (dom), 16h. Ingressos entre R$ 71,00 e R$ 92,00.

http://www.osesp.art.br/concertoseingressos/concerto.aspx?IDApresentacao=5777

Fonte: Imprensa@osesp.art.br

Espaço do Conhecimento UFMG promove “Quinta com Libras”


 

libras

Quinta com LIBRAS

 Quinta com Libras

A partir desta semana o Espaço do Conhecimento UFMG passará a ter quintas-feiras ainda mais especiais: pessoas que estudam ou são fluentes na Língua Brasileira de Sinais (Libras) estão convidadas a utilizarem o museu como espaço de trocas e de encontros. Como às quintas-feiras o museu já conta regularmente com sua programação estendida, a partir do dia 9 de abril, entre as 16h e 21h, interessados e interessadas poderão participar dos Jogos do Conhecimento com tradução em Libras e encontrar-se com outros falantes da língua para praticar utilizando os espaços do museu. Esta atividade faz parte do projeto de acessibilidades do Espaço do Conhecimento UFMG, tem entrada gratuita e é aberta ao público de todas as idades.

O Espaço do Conhecimento UFMG estimula a construção de um olhar crítico acerca da produção de saberes através da utilização de recursos museais. Sua programação diversificada inclui exposições, cursos, oficinas e debates. Integrante do Circuito Cultural Praça da Liberdade, o Espaço do Conhecimento é fruto da parceria entre a operadora TIM, a UFMG e o Governo de Minas. O Espaço conta com o apoio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais – FAPEMIG, da Rede de Museus e Espaços de Ciências e Cultura da UFMG e da DAC – Diretoria de Ação Cultural da UFMG.

Serviço:

Quinta com Libras

Data: Quintas-feiras, das 16h às 21h

Local: Espaço do Conhecimento UFMG – Praça da Liberdade, 700

Entrada franca

Fonte: www.espacodoconhecimento.org.br

 

Café Controverso debate tensões entre Estado laico e religião


religioes

Entre a cruz e a espada

Café Controverso do próximo sábado debate tensões entre Estado laico e religião

A participação popular é um dos pressupostos básicos de um estado democrático e, em sociedades diversas como a nossa, isso significa dar voz a grupos sociais de origens muitos distintas, com pautas e demandas específicas. As tensões resultantes dos choques entre interesses fazem parte do jogo democrático e tornam-se cada vez mais frequentes na medida em que os grupos conseguem ocupar os espaços de representação. Diante disso, a influência da religião no cenário político e o desafio de articular interesses tão díspares não encontram respostas simples. Para falar sobre o assunto o Café Controverso do próximo sábado, 11 de abril, recebe o professor de filosofia política da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) Carlo Gabriel Kszan Pancera e o professor Adjunto da Universidade Federal de São João Del-Rei (UFSJ) Cássio Corrêa Benjamin. Com o tema “Estado laico e religião”, o evento é aberto ao público e será realizado na cafeteria do Espaço do Conhecimento UFMG, a partir das 11h. No encontro, os professores vão discutir as atribuições do estado democrático, refletindo sobre o papel das religiões nesse contexto e trazendo o debate para a atual configuração política do país.

Terreno de disputas

De acordo com Cássio Benjamin, a presença das religiões em estados que vivem regimes democráticos gera um cenário naturalmente conflituoso. “As religiões têm um âmbito público muito forte, o que cria uma tensão constante com a lógica democrática. Para uma democracia funcionar as religiões precisam ser reformadas e perder seu aspecto político. Obviamente, nem todos os grupos têm interesse em passar por essa transformação”, elucida. Ainda para o professor a democracia brasileira vive um momento crítico no tocante à sua laicidade: ”A estrutura institucional brasileira separa bem religião de política, entretanto, dada a nossa tradição de um catolicismo muito atuante na esfera política, e com o crescimento dos grupos evangélicos a partir dos anos 70, essa separação encontra-se em um momento delicado. Há grupos politizando a religião e nesse ponto não há como prever o que vai acontecer no futuro, o estado laico é uma disputa permanente”, completa.

O professor sublinha ainda a complexidade desse quadro que fragiliza a laicidade da democracia brasileira e a sobrevivência de algumas religiões: “Não é possível generalizar e taxar todos os grupos religiosos como radicais. Para alguns deles está claro que o estado laico é importante, inclusive para a sobrevivência da própria religião. Há inúmeras disputas internas nos grupos e, mesmo em correntes majoritárias, não há consenso sobre a destruição do estado laico”.

Café Controverso

O conhecimento raramente passa pelo consenso e sua construção se faz, sempre, pelo diálogo. Nos Cafés Controversos, os temas são amplos e diversificados, e não se detêm aos tratados no interior do Espaço do Conhecimento: abordam diferentes setores da cultura, das artes e da ciência. Um espaço de debate e troca de ideias e perspectivas.

O Espaço do Conhecimento UFMG estimula a construção de um olhar crítico acerca da produção de saberes através da utilização de recursos museais. Sua programação diversificada inclui exposições, cursos, oficinas e debates. Integrante do Circuito Cultural Praça da Liberdade, o Espaço do Conhecimento é fruto da parceria entre a operadora TIM, a UFMG e o Governo de Minas. O Espaço conta com o apoio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais – FAPEMIG, da Rede de Museus e Espaços de Ciências e Cultura da UFMG e da DAC – Diretoria de Ação Cultural da UFMG.

Serviço:

Café Controverso – “Estado laico e religião”

Data: 11 de abril, às 11h

Local: Espaço do Conhecimento UFMG – Praça da Liberdade, 700

Entrada franca

Fonte: www.espacodoconhecimento.org.br

Osesp dentro e fora da Sala São Paulo


OSESP - Logo
OSESP COM SIR RICHARD ARMSTRONG (REGENTE) E ANGELA HEWITT (PIANO) | 09 A 11 DE ABRIL

A Osesp recebe, mais uma vez, o regente britânico Sir Richard Armstrong e a pianista Angela Hewitt, como solista convidada, para apresentar um programa que reúne obras de Berlioz, Mozart e César Franck.

O concerto inicia com a vívida “Abertura” da ópera Beatriz e Benedito (8 min), de Berlioz, inspirada na comédia Muito barulho por nada, de Shakespeare.

Em seguida, Angela Hewitt se junta à Osesp para interpretar o Concerto nº 25 Para Piano em Dó Maior, KV 503, de Mozart (32 min), obra de excepcional riqueza e complexidade, que alterna dramaticidade e sutileza.

Para terminar, a Orquestra toca a grandiosa Sinfonia em Ré Menor, Op.48 (39 min), do compositor belga César Franck, que reúne elementos da tradição musical alemã e francesa.

O público pode acompanhar também o Ensaio Aberto da Osesp, na quinta, 09/04, às 10h (R$ 10,00).

Saiba mais sobre Sir Richard Armstrong:

http://www.ingpen.co.uk/artist/sir-richard-armstrong/

Saiba mais sobre Angela Hewitt:

http://www.angelahewitt.com/

Informações sobre os concertos:

– Ensaio aberto: 09/04 (qui), 10h, R$ 10,00.

– Concertos: 09/04 (qui) e 10/04 (sex), às 21h, e 11/04 (sáb), às 16h30. Ingressos: R$ 45,00 a R$ 178,00.

http://www.osesp.art.br/concertoseingressos/concerto.aspx?IDApresentacao=5770

ORQUESTRA DE CÂMARA DA OSESP | SALA SÃO PAULO

EMMANUELE BALDINI (REGENTE) | DOMINGO, 12 DE ABRIL, 16H

Regida por Emmanuele Baldini, violinista spalla da Osesp, a Orquestra de Câmara da Osesp apresenta um programa que alterna peças de compositores brasileiros do final do século XIX e início do século XX, com obras canônicas de compositores do período clássico europeu.

A Suíte Antiga (14 min), de Alberto Nepomuceno, abre o concerto, seguida pela Sinfonia nº 38 em Ré Maior, KV 504 – Praga (25 min), de Mozart, peça de característica, ao mesmo tempo, leve e sombria.

Na segunda parte, a Orquestra interpreta a Modinha Imperial (6 min), de Fancisco Mignone, obra singela e de intenso lirismo, terminando o concerto com a espirituosa Sinfonia nº 90 em Dó Maior (24 min), de Haydn.

Saiba mais sobre Emmanuele Baldini:

http://emmanuelebaldini.com/

Informações sobre o concerto:

– 12/04 (dom), 16h. Ingressos: R$ 71,00.

http://www.osesp.art.br/concertoseingressos/concerto.aspx?IDApresentacao=5773

OSESP MASP | O BRASIL E O CLÁSSICO | ORQUESTRA DE CÂMARA DA OSESP | TERÇA, 14 DE ABRIL, 19H30 | GRANDE AUDITÓRIO DO MASP

A Osesp e o MASP, duas das instituições culturais mais simbólicas de São Paulo, formam uma parceria inédita para aproximar a música clássica e as artes plásticas, oferecendo uma série de nove programas ao longo de todo o ano de 2015, em uma terça-feira por mês, no Grande Auditório do MASP.

Nos encontros, serão estabelecidas as conexões entre composições eruditas consagradas e obras de arte do Acervo MASP, e relacionadas suas similaridades estéticas e históricas. As apresentações serão introduzidas por Leandro Oliveira (maestro, pianista e professor da Osesp) e Eugênia Gorini Esmeraldo (historiadora de arte e museóloga do MASP).

No segundo programa da série, dia 14 de abril, às 19h30, a Orquestra de Câmara da Osesp interpreta a Sinfonia nº 38 em Ré Maior, KV 504 – Praga (25 min), de Mozart; a Modinha Imperial (6 min), de Fancisco Mignone; e a Sinfonia nº 90 em Dó Maior (24 min), de Haydn. A obra do Acervo MASP a ser analisada é Paz e Concórdia (1895), de Pedro Américo.

Informações:

– 14/04 (ter), 19h30. Ingressos: R$ 100,00.

Grande Auditório do MASP

Av. Paulista, 1578 – 1º subsolo, São Paulo, SP | Tel (11) 3251-5644

http://www.osesp.art.br/concertoseingressos/concerto.aspx?IDApresentacao=6009

OSESP ITINERANTE | CORO DA OSESP CANTA EM MONGAGUÁ (12/04), ARARAS (14/04) E SANTO ANDRÉ (17/04) | GRATUITO

Depois da Osesp visitar quatro cidades paulistas, no início de fevereiro, é a vez do Coro da Osesp, sob a regência de Naomi Munakata, se apresentar pelo projeto Osesp Itinerante em três cidades do interior do estado – Jandira (12/04), Araras (14/04) e Santo André (17/04) –, levando ao público obras de Villa-Lobos, Aylton Escobar, Brahms, Schumann e Mendelssohn-Bartoldy.

Com atividades inteiramente gratuitas, o projeto Osesp Itinerante leva à população de todas as regiões do Estado de São Paulo a excelência artística e pedagógica dos instrumentistas da Osesp em concertos sinfônicos, de câmara e corais, além de aulas de história da música e oficinas de instrumentos. Criado em 2008, o projeto cumpre um papel fundamental no processo de difusão cultural e de democratização da música clássica, tornando-a acessível a um público cada vez maior, que não tem oportunidade de assistir aos concertos da Osesp na Sala São Paulo.

A iniciativa conta com a realização do Governo do Estado de São Paulo, correalização do SESC-SP e patrocínio do Grupo Segurador Banco do Brasil e Mapfre.

Informações sobre os concertos:

Mongaguá | 12/04 (dom), 20h

Igreja Matriz Nossa Senhora Aparecida.

Av. São Paulo, 1679 – Centro

http://www.osesp.art.br/concertoseingressos/concerto.aspx?IDApresentacao=6016

Araras | 14/04 (ter), 20h30

Teatro Estadual Maestro Francisco Paulo Russo

Av. Dona Renata, 401 – Tel (19) 3543-2450

http://www.osesp.art.br/concertoseingressos/concerto.aspx?IDApresentacao=6017

Santo André | 17/04 (sex), 20h

Igreja Matriz de Santo André

Praça Presidente Vargas, 1 – Centro

http://www.osesp.art.br/concertoseingressos/concerto.aspx?IDApresentacao=6018
Alexandre Felix
Comunicacao | Imprensa

Cineclube Cultura – Programação Abril 2015


filme cinematográfico

O cinema de Sidney Lumet

Sidney Lumet foi um dos mais prolíficos diretores de cinema, tendo feito praticamente um filme por ano, desde sua estreia, em 1957. Foram ao todo mais de quarenta filmes, de vários gêneros, e grande parte filmados em Nova Iorque, cidade em que nasceu e morreu. Um dos temas mais constantes em sua filmografia, é a fragilidade da justiça e da polícia. Sua sensibilidade conseguia extrair dos atores atuações poderosas e fizeram de Lumet o mais longevo descendente americano da tradição neorealista e de seu compromisso urgente com a responsabilidade ética.

Dia 11 – sábado

Doze Homens e uma sentença (12 angry men, EUA, 1957)

Direção de Sidney Lumet

Com Henry Fonda, Lee J. Cobb, Martin Balsam, E.G. Marshall

P/b, 96 min.

Trailer: https://www.youtube.com/watch?v=fSG38tk6TpI

 

Dia 12 – domingo

Serpico (Serpico, EUA, 1973)

Direção de Sidney Lumet

Com Al Pacino, John Randolph, Jack Kehoe, Barbara Eda-Young

Cor, 130 min.

Trailer: https://www.youtube.com/watch?v=-fal2l3o34k

 

Dia 18 – sábado

Rede de intrigas (Network, EUA, 1976)

Direção de Sidney Lumet

Com Faye Dunaway, William Holden, Peter Finch

Cor, 121 min.

Trailer: https://www.youtube.com/watch?v=qnGgsJ26dao

 

Dia 19 – domingo

O homem do prego (The pawnbroker, EUA,1964)

Direção de Sidney Lumet

Com Rod Steiger, Geraldine Fitzgerald, Brock Peters

P/b, 116 min.

Trailer: https://www.youtube.com/watch?v=eUyY_ybALSw

 

Dia 25 – sábado

Um dia de cão (Dog day afternoon, EUA, 1975)

Direção de Sidney Lumet

Com Al Pacino, john Cazale, Penelope Allen, Sully Boya

Cor, 125 min.

Trailer: https://www.youtube.com/watch?v=TPwBfZHozQ8

 

Dia 26 – domingo

Limite de segurança (Fail-safe, EUA, 1964)

Direção de Sidney Lumet

Com Henry Fonda, Walter Matthau, Fritz Weaver, Dan O’Herlihi

P/b, 112 min.

Trailer: https://www.youtube.com/watch?v=9mFhg2RcqVc

Horário: 20 horas

Local: Sala Roberto Rezende – Oficina Cultural

Pça. Clarimundo Carneiro, 204 – Bairro Fundinho

Entrada Franca

Fonte: cocle@ileel.ufu.br

Festival Brasileiro de Cinema Universitário 2015


cadeira_diretor-cinema

Estão abertas, até 30 de abril de 2015, as inscrições para a Mostra Competitiva Nacional de Curtas, do 19º FESTIVAL BRASILEIRO DE CINEMA UNIVERSITÁRIO, a ocorrer no Rio de Janeiro e Niterói em agosto de 2015.

*Podem ser inscritos curtas realizados por estudantes de cinema/audiovisual ou por universitários, de qualquer área de conhecimento, de todo o Brasil.

**O Festival também exibe e aceita inscrições de longas realizados por universitários.

INSCRIÇÕES no site: www.fbcu.com.br

MAIORES INFORMAÇÕES: Email: competitiva@fbcu.com.br; tels: (21) 99871 9221 / 3674 7523 / 2618 4755

ALEQUES EITERER

EDUARDO CERVEIRA

FLAVIA CANDIDA

GUILHERME TRISTÃO

RAQUEL ROCHA

coordenadores do FBCU

Fonte: cocle@ileel.ufu.br

 
 

Abertura da temporada de observação astronômica


TERRAÇO ASTRONÔMICO

O gigante, de perto
Observação de Júpiter marca abertura do Terraço Astronômico no Espaço do Conhecimento UFMG

Amantes do céu podem comemorar: no mês de abril o Terraço Astronômico do Espaço do Conhecimento UFMG será reaberto para visitação do público. Localizado no quinto andar do museu, um teto retrátil permite a observação de corpos celestes e, devido à necessidade de pouca nebulosidade durante as atividades, o ambiente é aberto apenas no período seco do ano. Em 2015, a temporada de observação com telescópio começa dia 09 de abril, com a visualização do planeta Júpiter. Como de costume, o acesso é permitido mediante a retirada de senha individual na recepção do museu e a entrada é gratuita. Nos dias de observação, 120 senhas são distribuídas por ordem de chegada, a partir das 17h30.

Um planeta gasoso
Por seu tamanho e sua capacidade de refletir a luz do Sol, o quinto planeta do sistema solar pode ser também visualizado com facilidade a olho nu. Com constituição gasosa, majoritariamente de Hidrogênio e Hélio, Júpiter é o maior planeta do Sistema Solar, tanto em diâmetro, quanto em massa. De acordo com o planetarista do Espaço do Conhecimento UFMG, Marcelo Cruz, com a utilização do telescópio do museu, alguns detalhes curiosos de Júpiter poderão ser notados pelo público: “vamos conseguir observar as faixas de nuvens na atmosfera do planeta e suas quatro luas perfiladas: Calisto, Io, Europa e Ganimedes”. Além da observação com o telescópio, os visitantes do Terraço Astronômico receberão informações sobre outros corpos celestes visíveis na noite de observação, sendo instigados a pensar sobre as possibilidades de leitura do céu.

*Caso as condições meteorológicas do dia impeçam as observações o Terraço poderá não ser aberto.

O Espaço do Conhecimento UFMG estimula a construção de um olhar crítico acerca da produção de saberes através da utilização de recursos museais. Sua programação diversificada inclui exposições, cursos, oficinas e debates. Integrante do Circuito Cultural Praça da Liberdade, o Espaço do Conhecimento é fruto da parceria entre a operadora TIM, a UFMG e o Governo de Minas. O Espaço conta com o apoio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais – FAPEMIG, da Rede de Museus e Espaços de Ciências e Cultura da UFMG e da DAC – Diretoria de Ação Cultural da UFMG.

Serviço:
Reabertura do Terraço Astronômico
Data: 9 de abril, das 19h às 21h
Local: Espaço do Conhecimento UFMG – Praça da Liberdade, 700
Entrada franca
Mais informações: www.espacodoconhecimento.org.br

Fonte: Tamira Marinho <imprensa@espacodoconhecimento.org.br>

Recitais Osesp | Angela Hewitt (Piano) | A Arte da Fuga, de Bach | Terça, 07 de Abril, 21h


Fundação OSESP Logo

Uma das mais importantes artistas da atualidade, a extraordinária pianista canadense Angela Hewitt volta a se apresentar com a Osesp como solista em um programa da Orquestra (09 a 11/04) e em um recital solo (07/04), em que interpreta A Arte da Fuga (90 min), de Johann Sebastian Bach.

A pianista, que é também diretora artística do Trasimeno Music Festival, em Magione, na Úmbria, Itália, já foi nomeada “Artista do Ano” pela revista Gramophone (2006), além de ter o conjunto de seus CDs com obras de Bach (Hyperion) reconhecido pelo jornal The Sunday Times como “uma das glórias dos registros fonográficos de nossa época”.

O ciclo A Arte da Fuga, uma das maiores obras composicionais de toda a história da música, compreende 14 fugas e quatro cânones construídos a partir de um mesmo tema, que se modifica originando movimentos contrapontísticos cada vez mais complexos.

Nas palavras da pianista Angela Hewitt, “Comparadas a ela, as Variações Goldberg e boa parte do Cravo Bem Temperado parecem brincadeira de criança. Em A Arte da Fuga, não há nenhum prelúdio que sirva para descontrair – apenas fugas, uma obra-prima depois da outra. O rigor da peça pode ser assustador, mas é também completamente irresistível, tanto no plano intelectual quanto no emocional.”

Saiba mais sobre Angela Hewitt:

http://www.angelahewitt.com/

Informações sobre o concerto:

– 07/04 (ter), 21h. Ingressos entre R$ 71,00 e R$ 92,00.

http://www.osesp.art.br/concertoseingressos/concerto.aspx?IDApresentacao=5769

OSESP COM SIR RICHARD ARMSTRONG (REGENTE) E ANGELA HEWITT (PIANO) | 09 A 11 DE ABRIL

A Osesp recebe, mais uma vez, o regente britânico Sir Richard Armstrong e a pianista Angela Hewitt, como solista convidada, para apresentar um programa que reúne obras de Berlioz, Mozart e César Franck.

O concerto inicia com a vívida “Abertura” da ópera Beatriz e Benedito (8 min), de Berlioz, inspirada na comédia Muito barulho por nada, de Shakespeare.

Em seguida, Angela Hewitt se junta à Osesp para interpretar o Concerto nº 25 Para Piano em Dó Maior, KV 503, de Mozart (32 min), obra de excepcional riqueza e complexidade, que alterna dramaticidade e sutileza.

Para terminar, a Orquestra toca a grandiosa Sinfonia em Ré Menor, Op.48 (39 min), do compositor belga César Franck, que reúne elementos da tradição musical alemã e francesa.

O público pode acompanhar também o Ensaio Aberto da Osesp, na quinta, 09/04, às 10h (R$ 10,00).

Saiba mais sobre Sir Richard Armstrong:

http://www.ingpen.co.uk/artist/sir-richard-armstrong/

Saiba mais sobre Angela Hewitt:

http://www.angelahewitt.com/

Informações sobre os concertos:

– Ensaio aberto: 09/04 (qui), 10h, R$ 10,00.

– Concertos: 09/04 (qui) e 10/04 (sex), às 21h, e 11/04 (sáb), às 16h30. Ingressos: R$ 45,00 a R$ 178,00.

http://www.osesp.art.br/concertoseingressos/concerto.aspx?IDApresentacao=5770

ORQUESTRA DE CÂMARA DA OSESP | EMMANUELE BALDINI (REGENTE) | DOMINGO, 12 DE ABRIL, 16H

Regida por Emmanuele Baldini, violinista spalla da Osesp, a Orquestra de Câmara da Osesp apresenta um programa que alterna peças de compositores brasileiros do final do século XIX e início do século XX, com obras canônicas de compositores do período clássico europeu.

A Suíte Antiga (14 min), de Alberto Nepomuceno, abre o concerto, seguida pela Sinfonia nº 38 em Ré Maior, KV 504 – Praga (25 min), de Mozart, peça de característica, ao mesmo tempo, leve e sombria.

Na segunda parte, a Orquestra interpreta a Modinha Imperial (6 min), de Fancisco Mignone, obra singela e de intenso lirismo, terminando o concerto com a espirituosa Sinfonia nº 90 em Dó Maior (24 min), de Haydn.

Saiba mais sobre Emmanuele Baldini:

http://emmanuelebaldini.com/

Informações sobre o concerto:

– 12/04 (dom), 16h. Ingressos: R$ 71,00.

http://www.osesp.art.br/concertoseingressos/concerto.aspx?IDApresentacao=5773

Fonte: Alexandre Félix – Imprensa@osesp.art.br

Regente Titular da Osesp recebe prêmio da Universidade de Harvard


OSESP - Logo

A regente titular e diretora musical da Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo (Osesp), Marin Alsop, recebe hoje o Prêmio Luise Vosgerchian de Ensino, conferido pela Universidade de Harvard, a mais importante do mundo segundo o ranking Times Higher Education 2015, através de seu programa Aprendendo com os Artistas. 

O Prêmio é entregue anualmente a um(a) educador(a) musical nacionalmente reconhecido(a) nos Estados Unidos, e seu intuito é perpetuar os valores e habilidades pedagógicas da Profª Vosgerchian, que se aposentou professora emérita do Departamento de Música da Universidade em 1990. 

Alsop, que também é diretora musical da Orquestra Sinfônica de Baltimore (EUA), iniciou em 2008 o programa OrchKids, que atende mais de 800 crianças na rede pública de ensino da cidade americana. Com a premiação, ela deverá ter a oportunidade de ministrar aulas, palestras e outras atividades envolvendo os estudantes de Harvard e o público local.
Leia trecho do comunicado da Universidade de Harvard:
The Luise Vosgerchian Teaching Award, which honors a nationally recognized educator and is administered by the Office for the Arts at Harvard’s Learning From Performers program, was established by Professor and Mrs. Ray A. Goldberg and the Max Goldberg Foundation in order to perpetuate the values and teaching skills represented by the late Professor Vosgerchian, who, at her retirement from Harvard University in 1990, was the Walter W. Naumberg Professor of Music Emerita in the Department of Music.
The guidelines require that the recipient embody the following qualities: selfless commitment; artistic conscience; a constant renewal of approach to subject matter; ability to motivate in a positive and creative way; a sincere interest in the development of the whole person; and the ability to present musical knowledge in a way that is applicable to other disciplines. The Award provides an honorarium and arranges for recipients to conduct master classes, lectures and other forums engaging Harvard undergraduates and the public.
The Luise Vosgerchian Teaching Award honors individuals who reflect Professor Vosgerchian’s values and dedication to music and arts education, including the 2015 recipient, Marin Alsop, Conductor of the Baltimore Symphony Orchestra and Principal Conductor of the São Paulo Symphony Orchestra. 

Mais informações no link:

http://ofa.fas.harvard.edu/cal/details.php?ID=45297

Fonte: Alexandre Félix / Imprensa OSESP

Solar Grandjean de Montigny – Museu Universitário da PUC-Rio


Solar Grandjean de Montigny  - Museu Universitário da PUC-Rio

Contornos urbanos no traço de Marcelo Gemmal – o Centro do Rio nos seus 450 anos

Obras do artista contemporâneo Marcelo Gemmal

 

Abertura no dia 28 de março das 16h as 20hs.

Entrada franca

Celebrando os eventos dos 450 anos da cidade, o Solar Grandjean de Montigny reabre, após dois anos de um cuidadoso trabalho de preservação e recuperação do patrimônio arquitetônico e histórico, realizado pelo Escritório Modelo de Arquitetura e Design da PUC-Rio, sob estrita orientação do IPHAN, inaugurando no dia 28 de março, às 16h, a  exposição Contornos do Rio no traço de Marcelo Gemmal – O  Centro do Rio nos seus 450 anos, com painéis de pintura do artista contemporâneo Marcelo Gemmal enfocando o centro da cidade nos dias atuais.  

O tema celebra a data da cidade, mostrando cenas da vida urbana dos cariocas como  Viaduto Cidade Nova no final da Paulo de Frontin, Presidente Vargas vista do Viaduto do Santa Bárbara, Rua dos Andradas com Marechal Floriano, com vista para a Presidente Vargas, Rua Leandro Martins com vista para a Rua Acre e Marechal Floriano, a esquina da  Rua Miguel Couto com Rua do Rosário  entre outras.  

A mostra é composta de dezesseis pinturas inéditas em técnica mista sobre painéis de lona crua em grandes formatos – trabalhos de 1,5m, 2m, 2,5m e 3m sempre por 1,5m..  

O artista

O artista contemporâneo Marcelo Gemmal é carioca, (ex-aluno de Design da PUC-Rio) desenvolve diversas técnicas, tradicionais e digitais como pintura, escultura, painéis e cenários; Ilustrador premiado, já produziu animações para filmes, clipes, séries da Tv como a abertura da série “Ó Pai Ó”, da rede Globo (2008/2009); Ilustrou as peças gráficas da Associação Cultural Jangada, incluindo o Festival do Cinema Brasileiro em Paris, para o qual desenhou e produziu suas vinhetas de animação (2001 a 2011). Produziu o material da Festa da Música Brasileira em Paris pela mesma produtora e o Primeiro Festival de Cultura Latino Americana do Qatar em 2011; é professor da  Universidade Estácio de Sá onde, atualmente, ensina no curso de Arquitetura e Design as cadeiras  “Desenho de Observação e Perspectiva”.  

O Solar Grandjean de Montigny – Museu Universitário da PUC Rio

Na Gávea, em meio às árvores seculares do campus da PUC-Rio, vislumbra-se o Solar Grandjean de Montigny, exemplo da  arquitetura neoclássica adaptado ao clima tropical do Brasil.  

Arquiteto e tratadista de sólida formação neoclássica, Auguste Henri Victor Grandjean de Montigny (1776 -1850) chegou ao Brasil em março de 1816, como integrante da Missão Artística Francesa – grupo de artistas, arquitetos e técnicos franceses com o objetivo implantar e consolidar o ensino das Belas Artes no Rio de Janeiro.  

Grandjean de Montigny  exerceu uma influência marcante na história da arquitetura brasileira, como arquiteto e como professor da Academia Imperial de Belas Artes, Realizou inúmeros projetos de prédios públicos e particulares, além de projetos de reurbanização do centro da cidade. 

Atualmente, encontram-se preservados o prédio da Casa França-Brasil (antiga Alfândega) no centro do Rio; a sua residência – Solar Grandjean de Montigny – na Gávea e o pórtico da antiga Academia Imperial de Belas Artes, transportado e instalado numa das aléias principais do Jardim Botânico.  

Da sua residência, não se conhece o projeto original. Construída possivelmente em 1822, passou por vários proprietários, tendo sido tombada em 1938 como monumento  histórico, arquitetônico e artístico nacional. Em 1951, a Pontifícia Universidade Católica adquiriu a propriedade que incluía o Solar e em 1959 a casa foi restaurada pela primeira vez pela Universidade e pelo IPHAN. Restituiu-se sua forma original tendo como base um desenho de Debret, quando foi reintegrada a colunata contínua das varandas superior e inferior; a grade da varanda superior; o terraço acima da escada de entrada de onde foi retirado o muro de tijolinhos em nicho de andorinha, além da recuperação de elementos não originais externos e internos.  A casa é considerada como um dos mais importantes exemplos da transposição e da adaptação de um modelo europeu em terras tropicais no séc. XIX. Seu entorno, igualmente tombado pelo IPHAN caracteriza-se, sobretudo por uma vegetação pujante que emoldura a moradia. 

SERVIÇO

O Solar Grandjean de Montigny – Museu Universitário da PUC Rio

Inaugura  Contornos urbanos no traço de Marcelo Gemmal – o Centro do Rio nos seus 450 anos – 16 painéis em técnicas mistas do artista contemporâneo Marcelo Gemmal

Livre

Abertura dia 28 de março, sábado, das 16h às 20h

Visitação de 30 de março a  29 de maio – segunda a sexta das  10 as 17horas

Rua Marquês de São Vicente nº 225 / Gávea – Rio de Janeiro – Brasil –   cep:22453-900

Tel: 21-3527-1434  email: solargm@puc-rio.br

 Fonte: Assessoria de Imprensa do evento/ Eli Rocha

Espaço do Conhecimento UFMG participa do #Museumweek


Espaço do Conhecimento - Maria Navarro

Ação online reúne museus em 45 países

De 23 a 29 de março o Espaço do Conhecimento UFMG participa do #Museumweek2015, iniciativa que reúne museus ao redor do mundo para celebrar a cultura, incentivando seus visitantes a interagir com a programação e estrutura das instituições através do Twitter.

Promovida por gestores comunitários de museus e instituições culturais francesas, em colaboração com as equipe do Twitter, a #MuseumWeek 2014 agregou 630 museus em toda a Europa. Em 2015, o objetivo é maior: dar uma dimensão global a este evento dedicado à celebração dos museus e unir um público ainda mais amplo, de uma forma divertida e participativa. A estimativa é de que, este ano, mais de mil espaços participem da campanha.

Durante os sete dias da ação, sete temas serão compartilhados pelos participantes, promovendo o intercâmbio online entre as instituições e seus visitantes. A identificação dos temas será feita através de hashtags e as ações de cada museu poderão ser conferidas também através do site http://museumweek2015.org. O público poderá acompanhar e interagir diretamente com os tweets do Espaço do Conhecimento UFMG através do perfil @espacoufmg.

Saiba mais sobre as hashtags e os temas propostos pela ação:

– Segunda-feira, 23 de março #secretsMW

O público vai descobrir um pouco mais do cotidiano “por trás dos bastidores” do museu, os locais mais escondidos e, quem sabe, até alguns segredos bem guardados.

– Terça-feira, 24 de março #souvenirsMW

Neste dia convidamos o público a compartilhar memórias de suas visitas através de objetos, obras, encontros e momentos marcantes.

– Quarta-feira, 25 de março #architectureMW

Na quarta-feira contaremos um pouco sobre a história do prédio do museu, suas mudanças e curiosidades arquitetônicas. 

– Quinta-feira, 26 de março #inspirationMW

Quinta-feira, incentivamos os visitantes a encontrar, ao seu redor, conteúdos relacionados com a busca pelo conhecimento – tema central trabalho pelo museu.

– Sexta-feira, 27 de março #familyMW

Sexta-feira apresentaremos ao público roteiros para uma visita familiar, capaz de agradar a todas as idades.

– Sábado, 28 de março #favMW

Sábado daremos lugar aos impulsos dentro do museu! Nesse dia os visitantes poderão compartilhar conosco seu conteúdo favorito através fotos, vídeos ou Vine.

– Domingo, 29 de mar #poseMW

O Espaço do Conhecimento é o cenário e o limite é a imaginação! Dia de poses, memes e selfies, é a vez do público se mostrar! 

O Espaço do Conhecimento UFMG estimula a construção de um olhar crítico acerca da produção de saberes através da utilização de recursos museais. Sua programação diversificada inclui exposições, cursos, oficinas e debates. Integrante do Circuito Cultural Praça da Liberdade, o Espaço do Conhecimento é fruto da parceria entre a operadora TIM, a UFMG e o Governo de Minas. O Espaço conta com o apoio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais – FAPEMIG, da Rede de Museus e Espaços de Ciências e Cultura da UFMG e da DAC – Diretoria de Ação Cultural da UFMG. 

Serviço:

Espaço do Conhecimento UFMG no #Museumweek

Data: 23 e 29 de março

Ações no twitter: www.twitter.com/espacoufmg

Fonte: www.espacodoconhecimento.org.br

Lançamento livro “Amor ao Teatro: Sábato Magaldi” no Teatro Anchieta – dia 24 de março


 

livro

As Edições Sesc São Paulo lançam no dia 24 de março, o primeiro volume da Coleção Sesc de Críticas, dedicada à crítica de arte. Amor ao teatro: Sábato Magaldi apresenta aos leitores a formação da moderna crítica teatral no Brasil, com 783 textos do autor publicados nos jornais O Estado de S. Paulo e Jornal da Tarde, entre 1966 e 1988. A pesquisa, seleção e organização da obra ficaram a cargo da companheira de teatro e esposa, Edla van Steen, que, com a assessoria de José Eduardo Vendramini, coletou todo o material, muitas vezes indisponível no formato digital.

O lançamento acontece às 19h, no Teatro Anchieta do Sesc Consolação, com a presença de Edla Van Steen, com sessão de autógrafos.

Lançamento do livro Amor ao Teatro: Sábato Magaldi

Data: 24 de março de 2015, Terça, às 19h.

Local: Teatro Anchieta 

Sesc Consolação

Rua Dr. Vila Nova, 245

Tel: 3234-3000

FONTE: Assessoria de Imprensa / Rita Solimeo Marin