Temática artistica : veja, ouça, toque! – O hiperestímulo na arte


Inhotim - logoNesta visita o visitante é convidado a discutir como o surgimento das novas tecnologias e meios de comunicação modificaram a percepção e o fazer das artes. A partir dos trabalhos de Babette Mangolte e Hélio Oiticica, investigaremos essas transformações na produção artística da década de 1960 nas grandes cidades.

Data: 1 a 29 de Junho – Sábado, Domingo e Feriado

Horário: 14h30

Local: Saída da recepção

FONTE: http://www.inhotim.org.br/programacao/evento/tematica-artistica-veja-ouca-toque-o-hiperestimulo-na-arte/

 

Osesp apresenta “Candide”, de Leonard Bernstein, com o Barítono Paulo Szot


osesp2

OSESP | CANDIDE, DE LEONARD BERNSTEIN | MARIN ALSOP (REGENTE) | PAULO SZOT (BARÍTONO) E CANTORES CONVIDADOS | 27, 28 E 29 DE JUNHO

Nesse programa especial para o período da Copa do Mundo, a Osesp apresenta uma versão de concerto do musical Candide, de Leonard Bernstein (Compositor Transversal da Temporada 2014), sob a regência de Marin Alsop e direção cênica de Jorge Takla.

Adaptada do livro homônimo de Voltaire, de 1759, Candide reconstrói a sátira escrita pelo filósofo iluminista sobre o otimismo ingênuo. Uma das maiores realizações de Bernstein como compositor, a obra mescla brilhantemente elementos de paródia, musical e opereta. 

Os concertos contam com o consagrado barítono brasileiro Paulo Szot como solista, além da participação de cantores convidados e dos Coros da Osesp e Acadêmico da Osesp, e acontecem nos dias 27 e 28/06 (quinta e sexta), às 21h, e 29/06 (sábado), às 19h30.

A regente Marin Alsop também participará de um encontro com o público na série Música na Cabeça, no dia 27/06, às 19h30, com entrada franca, para falar sobre Bernstein. 

Assista vídeo com Marin Alsop falando sobre Candide:

https://www.facebook.com/photo.php?v=661004057281551&set=vb.185207644861197&type=2&theater

Assista vídeo de Candide, com Leonard Bernstein:

https://www.youtube.com/watch?v=cMIzHnyuiNY 

Saiba mais sobre Paulo Szot:

http://www.pauloszot.com/index2.php

Informações sobre os concertos:

Ingressos entre R$ 42,00 e R$ 190,00

http://www.osesp.art.br/portal/concertoseingressos/concerto.aspx?c=3120  

27 DE JUNHO, 19H30 | MÚSICA NA CABEÇA | ENCONTRO COM MARIN ALSOP SOBRE LEONARD BERNSTEIN

Na quinta-feira, 27 de junho, às 19h30, antes de subir ao pódio para reger Candide com a Osesp, a regente Marin Alsop participa de um encontro com o público na série Música na Cabeça, onde falará sobre seu mentor Leonard Bernstein, também o Compositor Transversal da Temporada 2014.

As inscrições são gratuitas e devem ser feitas pelo site da Osesp.

Inscrições | Música na cabeça com Marin Alsop | 27/06 (quinta), 19h30:

http://www.osesp.art.br/portal/paginadinamica.aspx?pagina=musicanacabeca.

Leonard Bernstein | Compositor Transversal Temporada 2014:

http://www.osesp.art.br/portal/paginadinamica.aspx?pagina=lenny&MenuChave=528

 

Os concertos da Osesp contam com a realização do Governo do Estado de São Paulo, por intermédio da Secretaria de Estado da Cultura.

 

REVISTA OSESP

Acesse o link e leia conteúdos relacionados aos programas:

http://www.osesp.art.br/portal/paginadinamica.aspx?pagina=revistaosesp

 

OSESP 60 ANOS

Saiba mais:

http://www.osesp.art.br/portal/paginadinamica.aspx?pagina=linhadotempo 

 

SALA SÃO PAULO – SERVIÇO

Praça Júlio Prestes, 16

Bilheteria: (11) 3223-3966 (Sala São Paulo: 1340 lugares | Sala do Coro: 150 lugares)

Recomendação etária: 7 anos

Ingresso Rápido: (11) 4003-1212; www.ingressorapido.com.br 

Cartões de crédito: Visa, Mastercard, American Express e Diners.

Estacionamento: R$ 20,00 (611 vagas, sendo 20 para portadores de necessidades especiais e 33 para idosos).

Aposentados, pessoas acima de 60 anos, estudantes e professores da rede pública têm 50% de desconto, mediante comprovação em todas as atividades.

FONTE: Alexandre Félix – Depto. de Comunicação / Fundação Osesp

O Museu Nacional dos Correios apresenta a exposição Filabol: As Copas na Filatelia, reunindo duas paixões mundiais, o futebol e a filatelia.


image002

A partir do dia 20 de junho, estará aberta ao público a exposição Filabol: As Copas na Filatelia no Museu Nacional dos Correios. O Brasil, uma nação amante da bola, é o único país a participar de todas as Copas. Recebe neste ano 31 seleções em 12 cidades diferentes, fazendo a bola rolar de norte a sul. A mostra apresenta a história desta importante competição esportiva que atrai a atenção do globo a cada quatro anos.  A mostra expõe selos do Brasil, Argentina, Alemanha, Uruguai, Itália, Tanzânia, Suiça, Suécia, Inglaterra, Iêmen, Guiné Equatorial, Espanha, México,  Argélia, San Marino, França, Coréia do Sul, Japão, Espanha, África do Sul e Mônaco. O espaço lúdico contribui para o entretenimento e oferece ao visitante a oportunidade de jogar uma partida de futebol de botão.

Saiba mais:

O selo adesivo, a invenção do inglês de Rowland Hill em 1840, revolucionou a história dos correios. O Brasil foi o segundo país no mundo a utilizar os pequenos quadradinhos de papel para franquear cartas, com os chamados Olhos-de-Boi. Em 1866 aparece a inovação de estampar personalidades, começando com D. Pedro II. A partir de 1900, os selos passam a destacar aspectos importantes do Brasil e não há limites para as criações, pequenas doses de cultura e conhecimento ganhando o mundo e diminuindo distâncias.

A filatelia, a arte de colecionar selos, surge com a emissão do primeiro deles na Inglaterra. A reforma postal e a adoção em vários países desta nova maneira de franquear as correspondências dão um novo impulso aos colecionadores. A variedade de emissões alimenta a atividade, tornando-a um entretenimento muito praticado ao redor do mundo.

O futebol, por sua vez, foi regulamentado como esporte em 1863 na Inglaterra, mesmo que haja registros de um jogo de bola usando os pés em 2600 a.C. na China. A arte da bola desembarcou no Brasil em 1894, com o paulista Charles Miller. Na Paris de 1904, surge a FIFA(Federation International Football Association), com papel fundamental na profissionalização e popularização deste esporte. Mas só em 1930 no Uruguai acontece a primeira Copa do Mundo, competição que reuniu 13 seleções, desde então um fenômeno mundial.

Serviço:

Filabol: As Copas na Filatelia

Local: Museu Nacional dos Correios  – Setor Comercial Sul, Quadra 4, Bloco A – Edifício Apolo, Asa Sul, Brasília (DF) – Telefone: (61) 3213-5076

Visitação: Até 03 de agosto

Horário: De terça a sexta, das 10h às 19h – Sábados, domingos e feriados, das 12h às 18h

              *Durante a Copa nos dias de jogos do Brasil e em Brasília, das 10h às 12h

FONTE: Marta Ribeiro de Souza / ANALISTA DE CORREIOS JR – JORNALISTA / AC/PRESI/GAPRE/DEGEC

Mostra retrospectiva de Salvador Dalí


SALVADOR DALÍ

“Salvador Dalí”

Quando: de 30 de maio a 22 de setembro de 2014. De quarta a segunda, das 9h às 21h.

Onde: CCBB Rio – Rua Primeiro de Março, 66 – Centro.

Quanto: Entrada gratuita.

Mais informações: http://culturabancodobrasil.com.br

Saiba mais em http://guia.uol.com.br/rio-de-janeiro/exposicoes/noticias/2014/05/29/mostra-retrospectiva-de-salvador-dali-chega-ao-rio-com-150-obras.htm

Anistia Internacional pede respeito à manifestações na Copa


Brasil FutebolAnistia Internacional pedirá respeito à liberdade de expressão e à manifestação pacífica durante a Copa do Mundo, em ato que será realizado nesta quinta-feira em Brasília. O movimento reuniu mais de 86 mil assinaturas, em cerca de 100 países, com a campanha Brasil, chega de bola fora! e vai entregá-las ao Palácio do Planalto e ao Congresso Nacional. A preocupação é que a violência contra os manifestantes registrada nos protestos do ano passado voltem a ocorrer durante o Mundial.

“A intenção é a prevenção, para evitar eventuais violações por parte da polícia durante as manifestações que poderão ocorrer”, diz a assessora de Direitos Humanos da Anistia Internacional, Renata Neder. “No ano passado, a gente viu eclodir em todo o País grandes manifestações. Em diversas, a resposta da polícia foi abusiva, fazendo o uso excessivo da força, de balas de borracha e gás”.

A reação policial teve consequências. O documento mostra o caso do fotógrafo Sérgio Andrade da Silva que perdeu um olho após ser atingido por uma bala de borracha, disparada pela polícia militar durante uma manifestação em São Paulo, no dia 13 de junho de 2013.

Há também o caso de Vinicius Duarte, 27 anos, músico e estudante universitário. De acordo com o texto, ele foi brutalmente espancado por policiais militares durante uma manifestação em São Paulo no dia 25 de janeiro de 2014. Ficou gravemente ferido, teve a mandíbula e o nariz quebrados e perdeu quatro dentes depois que dois policiais militares o golpearam diversas vezes com os cassetetes.

Renata reconhece que atos de violência são praticados também por manifestantes. “O que é direito humano é o protesto e a manifestação pacífica. Qualquer ato de violência deve ser investigado e a polícia deve atuar para responsabilizar tais atos”, diz. No entanto, “a polícia precisa saber que a resposta e atuação no protesto deve ser no sentido de diminuir, não pode resultar no aumento de violência na manifestação”.

Leia a matéria completa em http://noticias.terra.com.br/brasil/politica/anistia-internacional-pede-respeito-a-manifestacoes-na-copa,e047969a7f966410VgnCLD200000b1bf46d0RCRD.html

Osesp – Programação de Junho e início de Julho


osesp2

Osesp em junho-julho | concertos especiais durante a copa do mundo 
​​  

Os concertos da Osesp contam com a realização do Governo do Estado de São Paulo, por intermédio da Secretaria de Estado da Cultura. 

CONCERTO MATINAL GRATUITO | OSESP TOCA TCHAIKOVSKY | JAIME MARTÍN (REGENTE) | 1º DE JUNHO, 11H 

O regente espanhol Jaime Martín, que se apresentou com a Osesp na última semana de junho, estará à frente da Orquestra para interpretar, de Tchaikowsky, a obra Manfred, Op.58 – Sinfonia em Quatro Quadros [Versão de Evgeny Svetlanov]. 

Os ingressos estarão disponíveis na bilheteria da Sala São Paulo a partir da segunda-feira anterior ao concerto, limitados a quatro por pessoa. A partir de cinco ingressos, será cobrado o valor de R$ 2,00 por ingresso. 

Saiba mais sobre Jaime Martín:

http://imgartists.com/artist/jaime_martin

CONCERTO MATINAL GRATUITO | COROS INFANTIL E JUVENIL DA OSESP) | 08 DE JUNHO, 11H 

Os Coros Infantil e Juvenil da Osesp se apresentam dentro da série de concertos matinais gratuitos, executando repertório clássico e popular, gratuitamente, na Sala SãoPaulo. 

Sob a regência de Teruo Yoshida, o Coro Infantil reúne meninos e meninas com idade entre oito e 15 anos, que têm a oportunidade estudar solfejo, percepção musical, técnica vocal, além de se dedicar ao repertório coral-sinfônico adequado à sua experiência. Já o Coro Juvenil, criado em 2004, tem regência de Paulo Celso Moura e é formado por jovens entre 14 e 17 anos, que também têm acesso a aulas teóricas e práticas, dedicando-se a repertórios mais complexos e ecléticos. 

Os ingressos estarão disponíveis na bilheteria da Sala São Paulo a partir da segunda-feira anterior ao concerto, limitados a quatro por pessoa. A partir de cinco ingressos, será cobrado o valor de R$ 2,00 por ingresso. 

Informações sobre o concerto:

http://www.osesp.art.br/portal/concertoseingressos/concerto.aspx?c=3075 

QUARTETO OSESP | 08 DE JUNHO, 16H 

Em sua segunda apresentação da Temporada 2014, o Quarteto Osesp interpreta o Quarteto nº 2, do compositor brasileiro César Guerra-Peixe, oQuarteto nº 2, do argentino Alberto Ginastera, e o Quarteto em Fá Maior, do francês Maurice Ravel. 

O Quarteto Osesp é formado por Emmanuele Baldini e Davi Graton, nos violinos, Peter Pas, na viola, e Johannes Gramsch, no violoncelo. 

Informações sobre o concerto:

http://www.osesp.art.br/portal/concertoseingressos/concerto.aspx?c=2972 

OSESP | PROGRAMAS ESPECIAIS NA COPA DO MUNDO

19, 20 E 21 DE JUNHO | VILLA-LOBOS EM FOCO

ISAAC KARABTCHEVSKY (REGENTE) | ANTONIO MENESES (VIOLONCELO)
​As criações do nosso maior compositor estão nesse programa que integra o Ciclo Villa-Lobos em Foco, apresentando a Osesp sob a regência de Isaac Karabtchevsky, com participação de convidados muito especiais, como o violoncelista Antonio Meneses – solista do programa e spalla do naipe de violoncelos –, além do Naipe de Cordas da Orquestra Sinfônica Heliópolis, de professores do Instituto Baccarelli e de alunos da Academia da Osesp.

O concerto abre com a modernista Uirapuru (18 min), seguida pela Fantasia Para Violoncelo e Orquestra (19 min), com solo de Antonio Meneses, do “Prelúdio” das Bachianas Brasileiras nº 4 (8 min), e termina com Mandu-Çarará (20 min), obra coral-sinfônica que contam com a participação do Coro da Osesp e do Coro Infantil da Osesp.

Informações sobre os concertos:

http://www.osesp.art.br/portal/concertoseingressos/concerto.aspx?c=2986 

Saiba mais sobre Antonio Meneses:

http://www.antoniomeneses.com/index.htm 

Saiba mais sobre Isaac Karabtchevsky:

http://www.karabtchevsky.com.br/

Saiba mais sobre a Orquestra Sinfônica Heliópolis:

http://institutobaccarelli.blogspot.com.br/p/sinfonica-heliopolis.html 

27, 28 E 29 DE JUNHO | CANDIDE, DE LEONARD BERNSTEIN

MARIN ALSOP (REGENTE) | PAULO SZOT (BARÍTONO)

Nesse programa especial, a Osesp apresenta uma versão de concerto do musical Candide, de Leonard Bernstein, Compositor Transversal da Temporada 2014, sob a regência de Marin Alsop e direção cênica de Jorge Takla.

Os concertos contam com o consagrado barítono brasileiro Paulo Szot como solista, além da participação de cantores convidados e dos Coros da Osesp e Acadêmico da Osesp, e acontecem nos dias 27 e 28/06 (quinta e sexta), às 21h, e 29/06 (sábado), às 19h30. 

Adaptada do livro homônimo de Voltaire, de 1759, Candide reconstrói a sátira escrita pelo filósofo iluminista sobre o otimismo ingênuo. Uma das maiores realizações de Bernstein como compositor, a obra mescla brilhantemente elementos de paródia, musical e opereta. 

Informações sobre os concertos:

Ingressos entre R$ 42,00 e R$ 190,00

http://www.osesp.art.br/portal/concertoseingressos/concerto.aspx?c=3120 

Saiba mais sobre Paulo Szot:

http://www.pauloszot.com/index2.php 

Leonard Bernstein | Compositor Transversal Temporada 2014:

http://www.osesp.art.br/portal/paginadinamica.aspx?pagina=lenny&MenuChave=528 

27 DE JUNHO, 19H30 | MÚSICA NA CABEÇA

ENCONTRO COM MARIN ALSOP | LEONARD BERNSTEIN 

Na quinta-feira, 27 de junho, às 19h30, antes de subir ao pódio para reger Candide com a Osesp, a regente Marin Alsop participa de um encontro com o público na série Música na Cabeça, onde falará sobre seu mentor Leonard Bernstein, também o Compositor Transversal da Temporada 2014.

As inscrições são gratuitas e devem ser feitas pelo site da Osesp.

Inscrições | Música na cabeça com Marin Alsop | 27/06 (quinta), 19h30:

http://www.osesp.art.br/portal/paginadinamica.aspx?pagina=musicanacabeca. 

03, 04 E 06 DE JULHO | NONA SINFONIA DE BEETHOVEN

MARIN ALSOP (REGENTE) | PAULO SZOT (BARÍTONO) | 06/JUL: TRANSMISSÃO DIGITAL PELA MEDICI TV 

Em mais esse programa especial, o barítono Paulo Szot continua com a Osesp e na companhia de cantores convidados e dos Coros da Osesp e Acadêmico da Osesp, para interpretar a Nona Sinfonia de Beethoven, sob a regência de Marin Alsop. 

Escrita no fim da vida de Beethoven, a obra-prima, mais conhecida por seu movimento final, Ode à Alegria, exalta a fraternidade universal e retoma os ideais humanos e políticos que haviam inspirado o compositor alemão no começo do século. 

Os concertos acontecem nos dias 03 e 04/07 (quinta e sexta), às 21h. No dia 06/07 (domingo), às 17h30, o concerto será transmitido ao vivo pela internet, gratuitamente, pela Medici TV (http://pt.medici.tv/), canal digital internacional dedicado à música clássica. 

Informações sobre os concertos:

Ingressos entre R$ 42,00 e R$ 190,00

http://www.osesp.art.br/portal/concertoseingressos/concerto.aspx?c=3121 

Transmissão digital ao vivo pela Medici TV | Domingo, 06 de julho, 17h30:

http://pt.medici.tv/ 

Saiba mais sobre a Nona Sinfonia: http://www.osesp.art.br/portal/paginadinamica.aspx?pagina=memantec9sinfonia&MenuChave=337 

REVISTA OSESP

Acesse o link e leia conteúdos relacionados aos programas:

http://www.osesp.art.br/portal/paginadinamica.aspx?pagina=revistaosesp 

OSESP 60 ANOS

Saiba mais:

http://www.osesp.art.br/portal/paginadinamica.aspx?pagina=linhadotempo  

SALA SÃO PAULO – SERVIÇO

Praça Júlio Prestes, 16

Bilheteria: (11) 3223-3966 (Sala São Paulo: 1340 lugares |Sala do Coro: 150 lugares)

Recomendação etária: 7 anos

Ingresso Rápido: (11) 4003-1212; www.ingressorapido.com.br 

Cartões de crédito: Visa, Mastercard, American Express e Diners.

Estacionamento: R$ 20,00 (611 vagas, sendo 20 para portadores de necessidades especiais e 33 para idosos).

Aposentados, pessoas acima de 60 anos, estudantes e professores da rede pública têm 50% de desconto, mediante comprovação em todas as atividades.

 Fonte: Imprensa OSESP 

Lançamento do livro “Como encontrar uma linda princesa”


Literatura e Sociedade

Como encontrar uma linda princesa

 Em seu terceiro livro infantojuvenil, Ricardo Viveiros retrata uma princesa “especial”, que enfrenta adversidades e luta pela inclusão em um “reino perfeito”

 O jornalista e escritor Ricardo Viveiros lança, no dia 08 de junho, em São Paulo, seu terceiro livro infantojuvenil. Na obra “Como encontrar uma linda princesa” (Editora Gaivota, 32 págs, R$ 32,50) ele revela a força da menina que, gentil e delicada como toda garota deve ser, demonstra coragem para enfrentar um problema físico e lutar pela inclusão mesmo em um “reino perfeito”. As ilustrações são assinadas por Alexandre Rampazo. 

A história reúne todos os elementos de um reino encantado: terra distante, justos governantes, povo feliz, um mago e uma bruxa em eterno confronto. A princesa, porém, é alguém “especial”. 

“Além da luta entre o bem e o mal, o livro aborda a superação de um problema físico e o dilema de um casal de reis na preconceituosa torcida entre ter um menino ou uma menina”, comenta o autor.

O livro “O poeta e o passarinho”, o primeiro do autor no gênero, com ilustrações de Rubens Matuck, está na quarta edição e foi um dos selecionados pelo programa do Itaú Social. Viveiros escreveu também “Saudade”, com ilustrações de Zélio Alves Pinto, que também teve grande repercussão de crítica e público.

O autor

Ricardo Viveiros nasceu no Rio de Janeiro em 1950, mas mora em São Paulo desde 1976. Sua infância foi de um típico garoto carioca, brincando na rua, andando de bicicleta, jogando bola, subindo em árvores e namorando. O gosto pelos estudos só era superado pelo encantamento por histórias lidas em livros ou ouvidas dos mais velhos, o que sedimentou o caminho para a carreira de jornalista e escritor. Viveiros trabalhou em jornais, revistas, rádios e TVs, e atuou ainda como ator, professor, diretor de museu, palestrante e produtor artístico. Escreveu 32 livros em vários gêneros, como: Poesia, Reportagem, Biografias, História, Arte, Crônicas além dos já citados infantojuvenis. 

O ilustrador 

Alexandre Rampazo é formado pela Faculdade de Belas Artes de São Paulo. Atuou por muito tempo como diretor de arte para publicidade e também desenvolveu capas de livros e projetos editoriais. A partir de 2007, passou a se dedicar integralmente à ilustração e à literatura infantil. Rampazo abusa das pinceladas, texturas e colagens. Ele localiza na infância o despertar pelo gosto de desenhar, fazendo suas próprias histórias e as ilustrando. Aos poucos, o que começou como uma brincadeira com amigos ficou sério. Atualmente, ilustra livros próprios e de outros autores. 

Depoimentos sobre a obra de Ricardo Viveiros: 

“É raro, entre muitos, os que – como você – conseguem prender a atenção do leitor.” Carlos Drummond de Andrade, jornalista e poeta. 

“Ricardo Viveiros é realmente poeta, portador de uma palavra segura e iluminada de intenso lirismo. Seus poemas são mensagem de amor à vida.” Fernando Soares, crítico de literatura. 

“Seu livro ‘O poeta e o passarinho’ é belo e delicado”. Lya Luft, escritora e jornalista (“Veja”).

“Sobre a minha mesa de trabalho, encontrei o livro ‘O Poeta e o Passarinho’, de Ricardo Viveiros, que minha mulher comprou ontem. Como é pequeno, tem letras grandes e muitas ilustrações, li-o em dois instantes, o tempo de fumar um cigarro na varandinha do apartamento. Fez um bem danado viajar com o passarinho do poeta. É um livro bonito, muito bem escrito e cuidadosamente editado, que nem faz lembrar a tragédia que o inspirou. É um livro destinado ao público infantojuvenil, também recomendado a crianças que ficaram grandes, mas não ficaram bobas. Fiquei tão tocado com o poema que não vou falar mais nada, prefiro que vocês o leiam. De volta à rotina da minha casa, o livro do Ricardo Viveiros me fez lembrar do sorriso dos meus netos. Não deixem de ler, vale a pena.” Ricardo Kotscho, jornalista e escritor.

“Quem tem facilidade de fazer versos pode fazer poemas lindos. A poesia verdadeira e plena, porém, tem que vir do fundo da alma. Quando isto acontece os versos do poeta nos atravessam como flechas. E aí, a poesia se realiza. Estes versos de Ricardo Viveiros, que surgem aqui em livro ilustrado por Rubens Matuck, ocorreram ao poeta como uma necessidade de sobrevivência: ou faço esse poema ou morro. Foi o que aconteceu com este poema que Ricardo chamou de O Poeta e o Passarinho: um poema necessário. E tudo isto resultou neste livro que vai comover crianças e adultos, pais e filhos, e que nos ajuda a chegar mais próximos dos inextrincáveis mistérios da vida. Fica claro, pois, que a principal missão – digamos missão – da poesia é nos comover. Este é um prefácio comovido, Ricardo.” Ziraldo, jornalista, escritor e artista gráfico.    

“Impossível não se emocionar com um livro que veio do fundo da alma.” José Roberto Burnier, jornalista (TV Globo).  

SERVIÇO

Lançamento do livro “Como encontrar uma linda princesa”, de Ricardo Viveiros, pela Editora Gaivota

Data: 08 de junho de 2014

Local: Livraria da Vila, Shopping JK Iguatemi  – Haverá recreação com as crianças, com um príncipe e uma princesa.

Horário: das 15 às 18 horas

 FONTE: Mariana Velozo – Gerente de Contas / www.viveiros.com.br

Lançamento do Dicionário da Religiosidade Popular no Espaço do Conhecimento UFMG – 29 de maio – 19h


Flyer Digital - Lançamento Dicionário da Religiosidade Popular - Frei Chico

ESPAÇO DO CONHECIMENTO PROMOVE LANÇAMENTO DO DICIONÁRIO DA RELIGIOSIDADE POPULAR

Obra reúne informações sobre aspectos da cultura tradicional brasileira 

Resultado de quatro décadas de pesquisa, o Dicionário da Religiosidade Popular, traz verbetes, registro de vivências e informações sobre a religiosidade do povo brasileiro, no passado e no presente. O trabalho foi organizado por Francisco van der Poel, mais conhecido como Frei Chico, e será lançado na cafeteria do Espaço do Conhecimento, dia 29 de maio, quinta-feira, às 19h. O evento integra o conjunto de atividades associadas à exposição “Quando o Jequitinhonha Canta e Dança”. A entrada é gratuita.

Frei Chico chegou ao Brasil, em 1967, em pleno período militar. Egresso da Holanda, o frade franciscano aprendeu o idioma português e se interessou pelos costumes e história do país. Chegando ao Vale do Jequitinhonha, se deparou com realidades culturais e sociais totalmente novas para ele. “Lá se deu o encontro da minha formação com uma cultura bem diferente da que encontrei na Holanda. Conheci novos costumes e pessoas que não sabiam ler numa região com muitas dificuldades”, conta. 

De acordo com Frei Chico, o livro nasceu do seu interesse em compreender melhor os hábitos locais e aos poucos evoluiu para a ideia do dicionário. “No começo eu pensava em fazer um manual, mas seria necessário sintetizar. O formato do dicionário me permite colocar informações que podem até soar contraditórias, o que não é um problema. Trata-se de uma obra aberta, na qual a verdade é uma busca, ela não está posta”, pontua.

O trabalho de construção do dicionário durou quarenta anos, sendo vinte e cinco deles dedicados à elaboração dos verbetes que integram a obra. Ele enfatiza que a participação e a confiança das pessoas envolvidas foi essencial para essa realização. “O que está no livro é exatamente o que povo me ensinou, sem manipulação. Lendo Paulo Freire, aprendi que ajudar o povo é dar valor ao que o povo tem. Foi necessário abraçar essa totalidade o que exige uma confissão da minha própria ignorância em relação a tantas coisas que vi e ouvi. Deixei os representantes do povo falarem e isso é o mais importante. O livro existe porque as pessoas entenderam que eu queria aprender com elas e não havia uma teoria pronta e acabada”, diz. 

Legado cultural

Sobre a importância da obra, o autor ressalta que o dicionário tornou-se fonte de consulta para pesquisadores e artistas interessados no tema e, citando Paulo Freire, ele chama a atenção para um dos aspectos mais importantes do trabalho que é “a importância política da promoção dos valores de um povo”.

As ilustrações do livro foram feitas pela artesã Maria Lira Marques, parceira principal do projeto, e a orientação geral é de Lélia Coelho Frota. Os verbetes do livro integram a exposição Quando o Jequitinhonha Canta e dança, inaugurada no dia 15 de maio.  

O Espaço do Conhecimento UFMG estimula a construção de um olhar crítico acerca da produção de saberes através da utilização de recursos museais. Sua programação diversificada inclui exposições, cursos, oficinas e debates. Integrante do Circuito Cultural Praça da Liberdade, o Espaço do Conhecimento é fruto da parceria entre a operadora TIM, a UFMG e o Governo de Minas. O Espaço conta com o apoio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais – FAPEMIG – e da Rede de Museus e Espaço de Ciência e Cultura da UFMG.  

Serviço:

Lançamento do livro Dicionário Religiosidade Popular, de Frei Chico

Data: 29 de maio, 19h

Local: cafeteria do Espaço do Conhecimento UFMG – Circuito Cultural Praça da Liberdade

Entrada Franca

Mais informações: www.espacodoconhecimento.org.br

Fonte: Rogério Dias – Espaço do Conhecimento UFMG

Café com Conhecimento debate desenvolvimento no vale do Jequitinhonha


Espaço do Conhecimento UFMG - fachada digital

Café com Conhecimento debate desenvolvimento no vale do Jequitinhonha

O  Vale do Jequitinhonha muitas vezes é lembrado pela escassez de água e recursos. Apesar de ser a quarta região mais pobre do planeta, há alguns anos programas de desenvolvimento vêm transformando a realidade local e, cada vez mais, a consciência sobre a riqueza oriunda das precariedades e abundâncias do Vale emerge.

Para falar sobre a atuação do Programa Polo Jequitinhonha UFMG na região, o Café com Conhecimento do último sábado do mês recebe a professora e coordenadora do programa, Marizinha Pimentel Nogueira. Com o tema “Desenvolvimento Socioeconômico no vale do Jequitinhonha”, o evento é gratuito e acontece às 11h, na cafeteria do museu.

O Polo Jequitinhonha é um programa de desenvolvimento regional, com  articulação teórica interdisciplinar, que tem a bacia hidrográfica do rio Jequitinhonha como unidade de análise. Fundado em 1996, suas ações buscam reduzir a pobreza e promover o reconhecimento da cultura local, a partir de parcerias com a sociedade. Suas atividades envolvem ações de ensino, pesquisa e extensão, de graduação e pós-graduação, e se articulam sete áreas temáticas: Cultura, Desenvolvimento Regional e Geração de Ocupação e Renda, Educação, Meio Ambiente, Comunicação, Direitos Humanos e Saúde.

Para Marizinha Pimentel, os bons resultados do projeto estão diretamente ligados à forma como ele se articula dentro do vale. “O Polo é um programa de desenvolvimento regional que tem uma concepção muito contemporânea: ele só tem sentido se a população se tornar um agente desse desenvolvimento. Esse projeto é concebido com o vale e não para o vale, e isso faz toda a diferença. Ele não é feito com ações grandiosas, vindas de fora, mas envolve a população local com ações menores, permanentes e consolidadas.”

Durante os dezoito anos do Polo Jequitinhonha, 120 projetos foram implantados. De acordo com Marizinha, a rede de parcerias e o envolvimento dos estudantes com o projeto foram essenciais nesse percurso. “É muito comum que nas universidades se pense em ensinar algo nas comunidades, entretanto, é muito claro nas ações do Polo que quem vai aprende muito mais que ensina. Na verdade, realizamos trocas de conhecimentos, conhecimentos acadêmico e popular”, acrescenta.  

Os Cafés do Espaço

Com o intuito de gerar um ambiente de encontro e intercâmbio de informações, o Espaço do Conhecimento UFMG promove atividades aos sábados em seu café, sempre no final da manhã, às 11 horas. O Café Controverso tem a participação de dois convidados com pontos de vista distintos sobre a temática discutida. Já o Café com Conhecimento é a oportunidade de conhecer e conversar mais sobre um determinado assunto, a partir da contribuição de uma pessoa especializada na questão. Em ambos, o público tem um papel fundamental para a dinâmica das discussões, uma vez que não atua somente como ouvinte, mas como participante ativo.

Espaço do Conhecimento UFMG estimula a construção de um olhar crítico acerca da produção de saberes através da utilização de recursos museais. Sua programação diversificada inclui exposições, cursos, oficinas e debates. Integrante do Circuito Cultural Praça da Liberdade, o Espaço do Conhecimento é fruto da parceria entre a operadora TIM, a UFMG e o Governo de Minas. O Espaço conta com o apoio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais – FAPEMIG – e da Rede de Museus e Espaço de Ciência e Cultura da UFMG.

Serviço:

Café com Conhecimento: Desenvolvimento no Vale do Jequitinhonha

Data: 31 de maio, 11h

Local: Espaço do Conhecimento UFMG – Circuito Cultural Praça da Liberdade

Entrada Franca

Mais informações: www.espacodoconhecimento.org.br

Fonte: Tamira Marinho / Comunicação Espaço do Conhecimento UFMG

Exposição no Museu Nacional dos Correios


_MG_1402_foto_Haruo Mikami

Museu Nacional dos Correios recebe mostra inédita de Francisco Galeno  

No dia 29 de maio, às 18h, no Museu Nacional dos Correios de Brasília, acontece a abertura da mostra Galeno: Uma nova direção, que traz a mais recente produção do artista Francisco Galeno, concebida em sua terra natal, Parnaíba, Piauí, seu assumido recanto poético, local onde fixou seu novo ateliê. Com curadoria de Ralph Gehre, a exposição que desembarca em um dos mais importantes espaços dedicados à arte na capital federal traz a Brasília os trabalhos inéditos do artista. No dia da abertura, o curador da exposição realizará um passeio comentado pelo Museu. Com patrocínio dos Correios a mostra fica em carta até o dia 27 de julho, com visitação de terça a sexta, das 10h às 19h, e sábados, domingos e feriados, das 12h às 18h. O Museu Nacional dos Correios fica no Setor Comercial Sul, Quadra 4, Bloco A, Edifício Apolo, Asa Sul, Brasília (DF). 

Galeno: uma nova direção retira o artista de sua zona de conforto, uma vez que tendo sempre produzido seu trabalho em Brasília, a partir de suas referências de origem, Galeno agora estaciona sua Rural Willys, em Parnaíba, diretamente no lugar onde de fato tudo começou. Em 2012 ele trocou Brazlândia (DF) por Parnaíba (PI), sua cidade de infância, e passou a produzir seu trabalho sob a verdadeira ótica familiar dos objetos e serviços que sempre ocuparam seu imaginário.  

A arte de Galeno é conceitual, mas está enraizada na história de sua infância. Em suas próprias palavras: “na minha arte não entra um prego que não seja carregado de história afetiva”, ressaltando que sua arte conceitual não é fria, abstrata ou cerebral, mas sim o diálogo com a fonte popular. Ele não apenas incorpora os objetos que lhe servem de fonte de inspiração, como também envolve os artistas locais na produção de suas obras: artesãos, rendeiras e serralheiros locais participam da produção dos componentes que são utilizados em seus trabalhos. E terminada a criação ele a expõe em seu atelier para que seja vista pela comunidade, como se estivesse em uma galeria, num generoso gesto de solidariedade. 

Galeno é um dos mais importantes personagens da história artística da capital. Seu trabalho é como a síntese dos viveres candangos, da cultura que veio de fora para construir a capital, tomando posse da cidade e tornando-a sua. A arte popular, folclórica e da infância transmuta-se em seu trabalho como fina arte, que ocupa o terreno habitado por seletos acadêmicos e teóricos. 

Para esta mostra, Galeno traz um novo grupo de pinturas que confirma o aprimoramento de seu vocabulário pictórico.  Há também toda uma produção voltada aos objetos – lamparinas e bilros – e também à junção de novos elementos, como os barcos que fazem as funções de prateleiras e de altares.  Para Ralph Gehre, o curador da mostra, “a partir do próprio título”, Galeno “indica a disposição em assumir as consequências que tal ímpeto determina na produção de seu trabalho, mudando de direção, escolhendo retornar às origens”. Ralph afirma, ainda, que “o traço inequívoco de Francisco Galeno marca cada escolha, cada gesto, independentemente do suporte por ele utilizado, de tal forma que a mínima afinidade permitirá reconhecer sua autoria em cada uma das obras”. 

Com esses novos elementos, que agora passam a integrar o vocabulário artístico, Galeno decalca um projeto de arte sobre um meio de vida. “A canoa, a escuna, a balsa, o navio, cascas flutuantes tão familiares às comunidades ribeirinhas, graças às quais se cumprem as fainas de pescadores, os passeios e viagens de famílias, as diversões e alegrias dos festejos – resume em um único elemento todas as possibilidades de uso e escala, da miniatura, do brinquedo, da maquete, até ser ele mesmo, o objeto original, transmutado em arte”, completa Ralph.

Serviço:

Galeno: Uma nova direção

Abertura: 29 de maio, às 18h  –  Visita guiada com o curador Ralph Gehre

Local: Museu Nacional dos Correios  – Setor Comercial Sul, Quadra 4, Bloco A – Edifício Apolo, Asa Sul, Brasília (DF) – Telefone: (61) 3213-5076

Visitação: De 30 de maio a 27 de julho

Horário: De terça a sexta, das 10h às 19h – Sábados, domingos e feriados, das 12h às 18h

Fonte: Marta Ribeiro de Souza – ANALISTA DE CORREIOS JR – JORNALISTA
AC/PRESI/GAPRE/DEGEC

Stella Caymmi faz na ABL conferência em homenagem a seu avô, intitulada “Caymmi ‘tá vivo ainda lá!'”


LOGO ABL

O ciclo de conferências Quatro centenários, da Academia Brasileira de Letras, sob coordenação do Acadêmico, embaixador e historiador Alberto da Costa e Silva, apresenta sua terceira palestra – Caymmi “tá vivo ainda lá!” – com a jornalista, biógrafa e escritora, além de neta do homenageado, Stella Caymmi. O evento está programado para terça-feira, dia 20 de maio, às 17h30min, no Teatro R. Magalhães Jr., Avenida Presidente Wilson 203, Castelo, Rio de Janeiro. Entrada franca.

A Coordenação geral de todos os ciclos de conferências deste ano é do Acadêmico e poeta Antonio Carlos Secchin.

A última palestra do ciclo será: dia 27, Iberê Camargo: o exercício da pintura, com o curador, crítico de arte e professor Paulo Venancio Filho.

Os ciclos de conferências são transmitidos ao vivo pelo portal da ABL.

Serão conferidos certificados de frequência.

Saiba mais em http://www.academia.org.br/abl/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?infoid=16178&sid=1015

Exposição com acervo da Biblioteca Nacional traz obras de Goya e Rembrandt


Arte

A capital mineira recebe até dia 22 de junho a exposição “Mestres da Gravura”, que conta com 170 obras da Coleção da Fundação Biblioteca Nacional, no Rio de Janeiro. Contando com raridades no acervo, a mostra é  representativa da evolução de técnicas nas artes. 
Reproduções a  partir de uma matriz em madeira (xilogravura) e em metal, surgidas no período do Renascimento ao Iluminismo, revelam descobertas, costumes e o
próprio pensamento filosófico e religioso europeu ao longo de quatro décadas. Dentre as obras originais estão criações de Rembrandt, Goya e Hogarth.  
Assim como as obras originais, as reproduções de obras-primas, sejam desenhos, esculturas, desenhos ou pinturas, apresentam grande interesse a estudiosos, tanto pelo caráter artístico quanto histórico, já que essa foi durante muito tempo a forma de difusão  das artes. Boa parte do acervo da Biblioteca Nacional, que conta com 30  mil itens, remonta à vinda da Família Real portuguesa ao Brasil, em 1808.  
A exposição tem entrada gratuita e pode ser vista até 22 de junho, de terça a sábado, de 9h30 às 21h, e aos domingos e feriados, de 16h às 21h.

Exposição Mestres da Gravura
Quando:
quarta (30) a 22 de junho (visitação: terça a sábado, das 9h30 às 21h; domingos e feriados, das 16h às 21h)

Onde: Galerias Arlinda Corrêa Lima e Genesco Murta do Palácio das Artes (Avenida Afonso Pena, 1537 – Centro)
Quanto: Gratuito
Mais informações: (31) 3236-7400

Fonte: http://guia.uol.com.br/belo-horizonte/noticias/2014/04/30/exposicao-com-acervo-da-biblioteca-nacional-traz-obras-de-goya-e-rembrandt.htm

Quando o Jequitinhonha canta e dança


Imagem do documentário Os Meninos e o Boi  - foto de Márcio Pereira - 1

Exposição propõe outros olhares sobre a cultura do Jequitinhonha

 

Questionamentos sobre as identidades e as múltiplas faces da cultura popular são alguns dos temas levantados na exposição Quando o Jequitinhonha Canta e Dança, realizada entre 15 de maio e 01 de junho, no Espaço do Conhecimento UFMG. A mostra integra uma série de atividades que têm como objetivo dar visibilidade às manifestações artísticas da região, através de fotografias, pinturas e registros audiovisuais que retratam aspectos diversos do Vale do Jequitinhonha, como arquitetura, cotidiano, personagens e paisagens locais. A abertura oficial da exposição acontece às 19h de quinta-feira, e contará com a apresentação “Poética Musical”, com a presença de artistas da região. 

O Vale do Jequitinhonha possui uma produção cultural rica e diversa, mas que não é totalmente conhecida do grande público. Em função disso foi formada a Rede Jequitinhonha Cultural, uma espécie de fórum que reúne entidades locais com o objetivo de dar força e visibilidade ao conjunto das atividades. “Muitas ações já aconteciam, pulverizadas no Vale ou em Belo Horizonte. A ideia que resultou no desenvolvimento da Rede foi de criarmos um circuito para que essa produção ganhe visibilidade. Muitos projetos já aconteciam, mas não existia uma articulação e as coisas não circulavam nem mesmo dentro do Vale,” pontua Guilardo Veloso, produtor cultural e presidente da Valemais – Instituto Sociocultural do Jequitinhonha – uma das entidades fundadoras da Rede.

Como resultado dessa aglutinação de forças, surgiu o Quando o Jequitinhonha Canta e Dança, projeto amplo que contempla manifestações distintas que dialogam com o propósito principal de difusão da cultura do Vale, com ações que incluem o  Festivale – Festival de Cultura Popular do Vale do Jequitinhonha, o documentário sobre a folia de reis “Os Meninos e o Boi”, o relançamento do CD “Beira Mar Novo” do Coral Trovadores do Vale, além da realização de dois shows em BH, no mês de abril e de um seminário em Araçuaí, em fevereiro.  A exposição realizada através da parceria entre a Valemais e o Espaço do Conhecimento funciona como uma celebração, uma espécie de síntese da interlocução existente neste cenário cultural. “As formas de expressão são muito amplas e essa exposição é importante por se tratar da primeira vez que conseguimos organizar uma mostra coletiva da arte do Vale”, explica Guilardo Veloso, salientando a importância da mostra como síntese do atual momento da rede e do projeto de difusão cultural proposto. 

Para René Lommez Gomes, Diretor Científico Cultural do Espaço do Conhecimento UFMG, realizar uma mostra de cultura tradicional no museu contribui para a desconstrução de olhares distantes e conservadores acerca dessas manifestações.  “As pessoas mantém no imaginário uma ideia distante e um tanto estereotipada sobre a cultura popular, por isso é tão importante a exposição ter sido construída a partir da parceria firmada entre uma associação do Vale do Jequitinhonha e o Espaço do Conhecimento”, afirma. O diretor pontua também o papel do Espaço no debate sobre a construção dos saberes de diversas matrizes e como a exposição reflete este olhar múltiplo presente nas ações do museu. “Realizarmos uma mostra de cultura popular dentro do museu, um espaço que é visto muitas vezes como o lugar da cultura científica, é uma forma de desconstruir até mesmo ideias que hierarquizam o conhecimento”, completa. 

Construção Coletiva

A exposição “Quando o Jequitinhonha Canta e Dança” apresenta recortes que retratam um pouco da produção artística e costumes culturais da região. A mostra traz imagens do documentário Os Meninos e o Boi, músicas do CD Beira Mar (Coral Trovadores do Vale), fotografias de Vilmar Oliveira e pinturas da artista plástica Marina Jardim, além de trechos do livro “Dicionário de Cultura Popular” (Frei Chico), resultado de anos de pesquisa sobre a religiosidade e cultura, que terá lançamento realizado durante exposição. “Não focamos em leituras individuais, não são ilhas. Todos estes trabalhos apresentam um diálogo coerente. A rede aposta justamente nessa coletividade. Naturalmente isso não impede que cada artista tenha a sua carreira, mas não é este o nosso objetivo”, afirma Veloso.

Luis Moraes, coordenador do Núcleo de Expografia do Espaço do Conhecimento UFMG, chama a atenção para o que ele denomina de “reverberação cultural”.  “A exposição vai retratar o Jequitinhonha como um polo irradiador de cultura. Não queremos trazer um mapa geopolítico da região, mas justamente questionar, mostrar que a cultura extrapola esses limites imaginados”, diz.

Sobre o processo de concepção da mostra, Luis Moraes enfatiza a parceria entre o museu e os proponentes. “O mais interessante é o fato de não ser uma exposição que chegou pronta. Eles tinham uma ideia clara sobre o contexto e a função dela, que é de divulgação da arte de uma região, mas acrescentamos a nossa leitura na forma como tudo seria apresentado”, conclui, ressaltando o aspecto colaborativo do projeto que se reflete na mostra. 

Exposição Quando o Jequitinhonha Canta e Dança

Realização: Valemais – Instituto Sociocultural do Jequitinhonha e Espaço do Conhecimento UFMG

Patrocínio: Petrobras

Apoio: Lei Estadual de Incentivo à Cultura de Minas Gerais e Lapa Ação Cultural 

Espaço do Conhecimento UFMG estimula a construção de um olhar crítico acerca da produção de saberes através da utilização de recursos museais. Sua programação diversificada inclui exposições, cursos, oficinas e debates. Integrante do Circuito Cultural Praça da Liberdade, o Espaço do Conhecimento é fruto da parceria entre a operadora TIM, a UFMG e o Governo de Minas. O Espaço conta com o apoio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais – FAPEMIG – e da Rede de Museus e Espaço de Ciência e Cultura da UFMG. 

Serviço:

Exposição – Quando o Jequitinhonha Canta e Dança

Período: 15 de maio a 01 de junho

Local: Espaço do Conhecimento UFMG – Circuito Cultural Praça da Liberdade

Entrada Franca

Mais informações: www.espacodoconhecimento.org.br 

Fonte: Rogério Dias – Espaço do Conhecimento UFMG

Mostra com entrada gratuita exibe relação entre cinema e rock’n roll


cinema_pipoca

O Cine Humberto Mauro do Palácio das Artes recebe a partir desta terça (13) a mostra Cinema e Rock’n’Roll. A segunda etapa do projeto opta por exibir trabalhos que estabelecem uma relação do estilo musical com obras de ficção. Na seleção estão filmes de Gus Van Sant, Todd Hayne, Brian De Palma, dentre outros.

Ao todo, serão 14 longas-metragens, produzidos entre 1960 e 2000. As sessões abrangem desde o clássico “Help!” (1965), de Richard Lester, até a cinebiografia de Bob Dylan e uma animação musical inspirada no álbum “The Wall”, do Pink Floyd.

Outro destaque é o “falso documentário” que acompanha a primeira turnê da banda norte-americana de heavy metal Spinal Tap, que ao longo de sua trajetória sempre perdia seus bateristas, mortos sempre em situações absurdas.

As exibições têm entrada gratuita e os ingressos poderão ser retirados na bilheteria do cinema a partir de 30 minutos antes de cada sessão. A mostra “Cinema e Rock’n’Roll” segue em cartaz até o dia 21 de maio na capital mineira.

Serviço

Mostra Cinema e Rock’n Roll II

Quando: terça (13) a 21 de maio

Onde: Cine Humberto Mauro – Palácio das Artes (Av. Afonso Pena, 1537 – Centro)

Quanto: entrada gratuita

Mais informações: (31) 3236-7400

Saiba mais em http://guia.uol.com.br/belo-horizonte/cinema/noticias/2014/05/13/mostra-com-entrada-gratuita-exibe-relacao-entre-cinema-e-rockn-roll.htm

Osesp – Programação Maio


osesp2

OSESP EM MAIO | JEREMY DENK E OLGA KERN (PIANO), NADJA SALERNO-SONNENBERG (VIOLINO), EMMANUEL PAHUD (FLAUTA) |MARIN ALSOP, ARVO VOLMER, JAIME MARTÍN (REGENTES)

A Osesp recebe grandes solistas e regentes convidados em maio, em apresentações que trazem desde o repertóriosinfônico clássico até o contemporâneo. A música de câmara também é destaque, com dois programas da série Solistas da Osesp e um concerto da Orquestra deCâmara da Osesp. O Coro da Osesp faz um concerto na série coral.

 

A titular Marin Alsop comanda dois programas. Pela primeira vez com a Osesp, sobem ao pódio os maestros EivindGullberg Jensen e Jaime Martín, e voltam os regentes Arvo Volmer e Ragnar Bohlin. Entre os solistas convidados estão os pianistas Jeremy Denk e Olga Kern, o flautista Emmanuel Pahud, a violinista Nadja Salerno-Sonneberg e a soprano Mari Eriksmoen.

 

Os concertos da Osesp contam com a realização do Governo do Estado de São Paulo, por intermédio da Secretaria de Estado da Cultura.

 

OSESP COM JEREMY DENK (PIANO) E  ARVO VOLMER (REGENTE) | OBRAS DE SCHUMANN, BEETHOVEN E SIBELIUS | 01 A 03 MAIO

 

O premiado pianista norte-americano Jeremy Denk continua com a Osesp durante a primeira semana de maio, em trêsconcertos com a Orquestra, depois de se apresentar em um recital (30/04), na Sala São Paulo.

 

Com regência do maestro estoniano Arvo Volmer, o programa traz Denk como solista do Concerto nº 1 para Piano em Dó Maior, Op.15 (36 min), de Beethoven, e inclui ainda a “Abertura” da ópera Genoveva, Op.81 (10 min), de Schumann, e duas peças de Sibelius: O Bardo (6 min) e a Sinfonia nº 3 em Dó Maior, Op.52 (29 min), em continuidade ao Ciclo de Sinfonias de Sibelius, iniciado na Temporada 2013.

 

Na quinta-feira, feriado de 1º de maio, o público poderá assistir ao Ensaio Aberto da Orquestra, a partir das 10h (R$ 10,00).

 

Saiba mais sobre Jeremy Denk:

http://jeremydenk.net/

 

Saiba mais sobre Arvo Volmer:

http://www.arvolmer.com/   

 

Informações sobre os concertos:

- Ensaio aberto, 01/05: http://www.osesp.art.br/portal/concertoseingressos/concerto.aspx?c=3127

- Concertos, 01 a 03/05: http://www.osesp.art.br/portal/concertoseingressos/concerto.aspx?c=2981

 

SOLISTAS DA OSESP | MÚSICA DE CÂMARA | OBRAS DE MOZART E ELGAR | 01 E 03 MAIO

 

Em mais um concerto de câmara da série Solistas da Osesp, os músicos da Orquestra Leandro Dias (violino), Rodolfo Lotta (violino), Horácio Schaefer (viola), Rodrigo Andrade (violoncelo) e Olga Kopylova (piano) apresentam o Quarteto nº 13 em Ré Menor, KV 173, deMozart, e o Quinteto para Piano em Lá Menor, Op.84, de Edward Elgar.Ótima oportunidade de assistir de perto os instrumentistas da Osesp.

 

Informações sobre os concertos:

http://www.osesp.art.br/portal/concertoseingressos/concerto.aspx?c=3007

 

OSESP COM MARIN ALSOP (REGENTE) E NADJA SALERNO-SONNENBERG (VIOLINO) | OBRAS DE BEETHOVEN, BARBER E PROKOFIEV | 08 A 10 MAIO

 

Após dez anos sem tocar com a Osesp, a violinista ítalo-americana Nadja Salerno-Sonnenberg volta a se apresentar com a Orquestra, sob a batuta da regente titular Marin Alsop. Conhecida por sua performance apaixonada, além de aclamada solista e musicista de câmara, Nadja é também dona de sua própria gravadora, além de diretora musical da New Century Chamber Orchestra, de São Francisco.

 

O programa inicia com a Abertura Leonora nº 3 (14 min), de Beethoven; segue com  o Concerto ParaViolino, Op.14 (25 min), de Samuel Barber, tendo Nadja Salerno-Sonnenberg como solista; e termina com a Sinfonia nº 3 em Dó Menor, Op.44 (34 min), de Prokofiev.

 

Saiba mais sobre Nadja Salerno-Sonnenberg:

http://www.nadjasalernosonnenberg.com/index.html

 

Informações sobre os concertos:

http://www.osesp.art.br/portal/concertoseingressos/concerto.aspx?c=2982

 

OSESP COM MARIN ALSOP (REGENTE) E OLGA KERN (PIANO) | OBRAS DE ANNA CLYNE, RACHMANINOV E SCHUMANN | 15 A 17 MAIO

 

A Osesp recebe a pianista russa OlgaKern como solista do programa dessa semana. Sob a regência de Marin Alsop, ela interpreta oConcerto nº 1 Para Piano em Fá Sustenido Menor, Op.1(27min), de Rachmaninov, dentro do ciclo Rachmaninov: Concertos Para Piano e Orquestra.

 

A apresentação abre com a obra Night Ferry (Balsa Noturna), da jovem compositora inglesa Anne Clyne, e termina com a Sinfonia nº 2 em Dó Maior, Op.61(40 min), de Schumann.

 

Na quinta-feira, 15 de maio, às 10h, o público poderá acompanhar o Ensaio Aberto da Osesp (R$ 10,00).

 

Saiba mais sobre Olga Kern:

http://www.olgakern.com/home.html

 

Informações sobre os concertos:

- Ensaio aberto, 15/05: http://www.osesp.art.br/portal/concertoseingressos/concerto.aspx?c=3128

- Concertos, 15 a 17/05: http://www.osesp.art.br/portal/concertoseingressos/concerto.aspx?c=2983

 

CORO DA OSESP CANTA COMPOSITORES CONTEMPORÂNEOS | RAGNAR BOHLIN (REGENTE) | DOMINGO, 18 DE MAIO, 16H

 

Com um programa totalmente a cappella, o Coro da Osesp continua a celebrar seus 20 anos de fundação, apresentando um programa com repertório de compositores contemporâneos da região báltica, sob a regência do maestro sueco Ragnar Bohlin.

 

O concerto abre com duas obras do norte-americano Eric Whitacre, exceção do programa: Leonardo Dreams of His Flying Machine(Leonardo Sonha Com Sua Máquina de Voar; 9 min) e When David Heard  (Quando Davi Ouviu, 16 min). Na continuação, o Coro interpreta Hymne à Saint Martin, do lituano Vaclovas Augustinas; …Which Was The Son of… (7 min), do estoniano Arvo Pärt; O Sacrum Convivium (4 min), do sueco Fredrik Sixten; Lacrimosa (3 min), do lituano Mindaugas Urbatis; The Angel (7 min), da sueca Tina Andersson; e Mouyiyuom (14 min), do sueco Anders Hillborg.

 

Informações sobre o concerto:

http://www.osesp.art.br/portal/concertoseingressos/concerto.aspx?c=2963

 

OSESP COM EIVIND GULLBERG JENSEN (REGENTE) E MARI ERIKSMOEN (SOPRANO) | OBRAS DE MOZART E SIBELIUS | 22 A 24 MAIO

 

A Osesp recebe pela primeira vez o maestro norueguês Eivind Gullberg Jensen, titular da NDRRadiophilharmonie e que tem comandado produções de ópera em prestigiosas salas como English National Opera, Opéra de Lyon e Opernhaus Zürich, para citar algumas.

 

Jensen comandará um programa que apresenta, na primeira parte, obras de Mozart, tendo como solista convidada a soprano norueguesa Mari Eriksmoen. O concerto começa com a “Abertura” e “Ach, ich fühl’s” [Ária de Pamina] da ópera A Flauta Mágica (12 min), seguindo com Vorrei spiegarvi, oh Dio! [Queria Explicar, ó Deus!] (6 min), e terminando com Exsultate, Jubilate [Exultai, Alegrai-vos] (17 min).

 

Na segunda parte, a Osesp executa a Sinfonia nº 5 em Mi Bemol Maior, Op.82, de Sibelius, dando continuidade ao ciclo de sinfonias do compositor finlandês.

 

Na quinta-feira, 22 de maio, às 10h, o público poderá acompanhar o Ensaio Aberto da Osesp, com ingressos a R$ 10,00.

 

Saiba mais sobre Eivind Gullberg Jensen:

http://www.eivindgullbergjensen.com/

 

Saiba mais sobre Mari Eriksmoen:

http://www.artefact.no/Artists/EriksmoenMari/tabid/915/Default.aspx

 

Informações sobre os concertos:

- Ensaio aberto, 22/05: http://www.osesp.art.br/portal/concertoseingressos/concerto.aspx?c=3129

- Concertos, 22 a 24/05: http://www.osesp.art.br/portal/concertoseingressos/concerto.aspx?c=2984

  

ORQUESTRA DE CÂMARA DA OSESP | RAGNAR BOHLIN (REGENTE) | 25 DE MAIO, 16H

 

Esse programa da Orquestra de Câmara da Osesp apresenta, na primeira parte, obras de William Byrd (Miserere mei,Deus e Bow Thine Ear, o Lord) e Orlando Gibbons (Suite: This is The Record of John), arranjadas pelo jovem compositor norte-americano Nico Muhly, alternadas por peças compostas pelo próprio Muhly (Motion e By All Means), inspiradas nesses dois autores renascentistas.

 

Na segunda parte, a Orquestra interpreta uma releitura do compositor britânico Max Richter para As Quatro Estações: Inverno, de Vivaldi, encerrando o concerto com Música Aquática: Suíte nº 1, de Händel.

 A regência é do maestro sueco Ragnar Bohlin.

 

Informações sobre o concerto:

http://www.osesp.art.br/portal/concertoseingressos/concerto.aspx?c=2943

 

OSESP COM EMMANUEL PAHUD (FLAUTA) E JAIME MARTÍN (REGENTE) | OBRAS DE ALBÉNIZ, MARC-ANDRÉ DALBAVIE E TCHAIKOVSKY | 29 A 31 MAIO

 

O flautista franco-suíço Emmanuel Pahud é o solista convidado do programa da Osesp da última semana de maio, tendo à frente o regente espanhol Jaime Martín, pela primeira vez com a Orquestra.

 

A apresentação abre com a peça Catalonia, de Albéniz, seguindo com o Concerto Para Flauta, do compositor francês Marc-André Dalbavie – estreado em 2006 pela Philharmonie de Berlim, com solo do flautista Emmanuel Pahud –, e termina com Manfred, Op.58 – Sinfonia em Quatro Quadros [Versão de Evgeny Svetlanov], de Tchaikowsky.

 

O público poderá também acompanhar oEnsaio Aberto da Osesp, na quinta, 29 de maio, a partir das 10h (R$ 10,00).

 

Saiba mais sobre Emmanuel Pahud:

http://www.emmanuelpahud.net/index.html

 

Saiba mais sobre Jaime Martín:

http://imgartists.com/artist/jaime_martin

 

Informações sobre os concertos:

- Ensaio Aberto, 29/05: http://www.osesp.art.br/portal/concertoseingressos/concerto.aspx?c=3130

- Concertos, 29 a 31/05: http://www.osesp.art.br/portal/concertoseingressos/concerto.aspx?c=2985

 

SOLISTAS DA OSESP TOCAM COMPOSITORES BRASILEIROS | 29 E 31 DE MAIO

 

Esse concerto de câmara da série Solistas da Osesp, reúne um grupo de instrumentistas de sopros da Orquestrapara interpretar somente obras de compositores brasileiros, no ambiente intimista da Sala do Coro.

 

Com Rogério Wolf, na flauta, RicardoBarbosa, no oboé, Sérgio Burgani, no clarinete, Romeu Rabelo, no fagote, e José Costa Filho, na trompa, o programa traz as peças Quinteto para Instrumentos de Sopro, de Mario Tavares, Trio nº 2 para Flauta, Clarinete e Fagote, de Guerra-Peixe, Choro Breve, de André Mehmari, Suíte para Quinteto de Sopros, de Radamés Gnatalli, e Quinteto em forma de Choros, de Villa-Lobos.

 

Informações sobre os concertos:

http://www.osesp.art.br/portal/concertoseingressos/concerto.aspx?c=3008

 

REVISTA OSESP

Acesse o link e leia conteúdosrelacionados aos programas:

http://www.osesp.art.br/portal/paginadinamica.aspx?pagina=revistaosesp

 

OSESP 60 ANOS

Saiba mais:

http://www.osesp.art.br/portal/paginadinamica.aspx?pagina=linhadotempo 

 

SALA SÃO PAULO

Praça Júlio Prestes, 16

Bilheteria: (11) 3223-3966 (Sala São Paulo: 1340 lugares | Sala do Coro: 150 lugares)

Recomendação etária: 7 anos

Ingresso Rápido: (11) 4003-1212; www.ingressorapido.com.br 

Cartões de crédito: Visa, Mastercard, American Express e Diners.

Estacionamento: R$ 20,00 (611 vagas, sendo 20 para portadores de necessidades especiais e 33 para idosos).

Aposentados, pessoas acima de 60 anos, estudantes e professores da rede pública têm 50% de desconto, mediante comprovação em todas as atividades.

FONTE: Alexandre Félix /imprensa@osesp.art.br

Espaço do Conhecimento UFMG debate astronomia amadora em evento aberto ao público


1-planeta-terra-visto-no-espaco-com-sol-ao-fundo

Espaço do Conhecimento UFMG debate astronomia amadora em evento aberto ao público

 

A astronomia é uma ciência de observação e estudo do universo. Porém, muito além de ser uma prática restrita aos campi universitários, físicos e matemáticos, a astronomia se faz presente em todas as culturas conhecidas, desde os tempos mais remotos. Examinar o céu, situar seus objetos no espaço/tempo e entender o que acontece fora da Terra são desafios abertos para qualquer amante das estrelas.

Muito do que se conhece hoje sobre o universo se deve aos astrônomos amadores. Eles constroem telescópios, pequenos observatórios, contemplam estrelas e planetas e ainda buscam descobrir novidades no espaço – identificáveis ou não.

Para contar um pouco mais sobre a rotina, os desafios e os encantos da astronomia amadora, o Café com Conhecimento do próximo sábado, 19 de abril, recebe o astrônomo Cristóvão Jacques. O bate papo e acontece às 11h, na cafeteria do Espaço do Conhecimento UFMG, e tem entrada gratuita.

Cristovão Jacques é engenheiro civil e químico e começou a observar o céu, por paixão, aos 14 anos de idade.  Em sua adolescência, quase não havia livros em português sobre o tema no país. Com o passar dos anos, e com o aumento de sua curiosidade, intensificou suas leituras sobre astronomia, comprou um telescópio e tornou-se um astrônomo amador. Em 2013 construiu juntamente ao advogado Eduardo Pimentel e ao psicanalista João Ribeiro de Barros o observatório SONEAR (em Oliveira, a 120 km de Belo Horizonte), e em janeiro deste ano o trio descobriu o primeiro “cometa brasileiro”, batizado de C/2014 A4 SONEAR.

Para Cristóvão Jacques, a descoberta é um reflexo da importância dos astrônomos amadores na área. “A falta de investimento governamental no setor e um comum despreparo por parte dos professores para lidarem com o tema,acabam deixando o ensino de astronomia, a divulgação para o grande público, e até a pesquisa muito imbricados às ações dos astrônomos amadores.”

Jacques ressalta também a importância dos grupos e clubes locais, para a orientação e troca de informações entre os amantes da observação celeste:  “Existem vários tipos de astrônomos amadores: os que gostam de contemplar o céu, os que gostam de construir instrumentos e os que se dedicam à pesquisa, como é o meu caso. Mas para os que querem começar, eu sugiro que procurem um clube de astronomia amadora, até para que a pessoa não faça um grande investimento comprando equipamentos por empolgação, e depois fique perdida.”

Espaço do Conhecimento UFMG estimula a construção de um olhar crítico acerca da produção de saberes através da utilização de recursos museais. Sua programação diversificada inclui exposições, cursos, oficinas e debates. Integrante do Circuito Cultural Praça da Liberdade, o Espaço do Conhecimento é fruto da parceria entre a operadora TIM, a UFMG e o Governo de Minas. O Espaço conta com o apoio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais – FAPEMIG.

 Serviço

Café com Conhecimento – Astronomia amadora

Data:  19 de abril, 11h

Local: Espaço do Conhecimento UFMG – Circuito Cultural Praça da Liberdade

Entrada Franca

Mais informações: www.espacodoconhecimento.org.br

Fonte: Tamira Marinho

“Seminário Brasil, brasis” de abril, o primeiro da série de 2014, debate na ABL o tema “Cultura e contracultura na atualidade brasileira”


dest1359gr

O “Seminário Brasil, brasis” de abril, o primeiro da série de 2014, debate na Academia Brasileira de Letras o tema Cultura e contracultura na atualidade brasileira. A coordenação é do Acadêmico Domício Proença Filho, e os palestrantes são o Acadêmico  Eduardo Portella e os professores  Manuel Antonio de Castro e  Carlos Sepúlveda. O evento está programado para o dia 24 de abril, quinta-feira, às 17h30min, no Teatro R. Magalhães Jr., na Avenida Presidente Wilson 203, Castelo, Rio de Janeiro. Entrada franca.

Os eventos do “Seminário Brasil, brasis” têm transmissão ao vivo pelo portal da ABL.

Fonte: http://www.academia.org.br/abl/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?infoid=16060&sid=1015

Museu de História Natural celebra chegada do outono com programação especial neste domingo


mhnjbufmg

O Museu de História Natural e Jardim Botânico (MHNJB) estreia no próximo domingo, dia 6, uma programação especial para comemorar a chegada do outono. Uma sessão de observação de pássaros, a partir de 8h30, e palestra sobre arte ambiental inauguram as atividades, que terão continuidade durante os meses de abril, maio e junho.

Ao longo do período serão organizados passeios à reserva museológica, caminhadas noturnas e cursos, entre as várias atividades culturais, educativas e recreativas previstas.

A entrada custa R$4, com entrada gratuita para menores de 5 e maiores de 60 anos. Para participar das atividades, é necessário fazer pré-inscrição através do site. Os valores variam entre R$15 e R$20.

O museu fica na Rua Gustavo da Silveira, 1035, Santa Inês, próximo à estação do metrô Santa Inês. Outras informações estão disponíveis através dos telefones (31) 3461-4204 e (31) 3409-7641.

Confira abaixo a programação completa em

https://www.ufmg.br/online/arquivos/032667.shtml